89 conversa com o Jon Hudson, guitarrista do Faith No More

Willian Maier

89 conversa com o Jon Hudson, guitarrista do Faith No More

A 89 conversou com Jon Hudson, guitarrista da banda Faith No More que vai lançar o novo álbum “Sol Invictus” no dia 19 de maio. É o primeiro trabalho dos caras com músicas inéditas em 18 anos e que será lançado pelo próprio selo da banda, o “Reclamation Records”, além de ter a produção de Billy Gould, baixista do próprio Faith No More. Outra informação importante é que eles também vão se apresentar na edição brasileira do Rock In Rio 2015 no dia 25 de setembro, na mesma noite do Slipknot. Confira a seguir o bate-papo com Jon Hudson.

O que podemos esperar do show do Faith No More no Rock In Rio?

Você sempre pode esperar o inesperado quando estamos falando de Faith No More. Provavelmente vamos tocar algumas músicas novas. Isso já é alguma coisa.

Qual é a sensação de tocar em um festival como o Rock In Rio?

Ainda não tenho essa resposta. Posso te responder depois do show (risos).

O que você mais gosta do Brasil?

Por onde começar…eu adoro as comidas brasileiras. São todas excelentes, independente do lugar que vamos tocar. Estou muito ansioso para isso. Quero jantar quando chegar no Brasil (risos).

Como foi a gravação do novo álbum do Faith No More, o “Sol Invictus”?

Foi um longo processo, dedicamos um tempo a ele. Foi confortável, porque não havia pressão e tivemos calma para trabalhar no que precisávamos. Apesar de algumas diferenças e disponibilidades entre nós, conseguimos desenvolver o álbum com o tempo. Sempre que estávamos no estúdio, estavam todos juntos para trocar informações.

Como foi o processo de composição da música “Superhero”?

Foi um processo produtivo. O Billy Gould (baixista) tinha algumas ideias para a música e se juntou ao Mike Bordin (bateria), que acrescentou mais algumas coisas. Nos ensaios e nas demos, primeiro gravamos a bateria e depois as guitarras. Algumas partes do teclado já faziam parte da música desde o início, mas tivemos que encaixar outras novas depois.

Qual é a diferença do “Sol Invictus” para os outros álbuns do Faith No More?

É um novo capítulo, uma continuação da banda. Nós ainda tínhamos algumas músicas para tocar. Não acho que esse álbum seja um “rompimento radical”, mas é uma chance do Faith No More recriar o seu caminho. Tem alguns elementos que as pessoas conhecem do Faith No More, mas também há elementos novos, que as pessoas ainda não conhecem da banda.

Por que o nome “Sol Invictus”?

O título depende da interpretação de cada um. Para mim, o nome tem relação com a determinação da banda e também ao fato de estarmos lançando esse álbum de maneira independente. Mas essa é apenas a minha interpretação. Se você fizer essa pergunta para os outros integrantes, eles provavelmente vão te dar uma resposta diferente da minha, como algo haver com o sol ou algo do tipo.

Além do Rock In Rio, vocês pretendem fazer outros shows no Brasil nessa turnê?

Ainda não sei. Mas eu espero que sim. O Rock In Rio com certeza será um grande show. A última apresentação do Faith No More no Rock In Rio no Brasil foi há mais de 20 anos.

O que podemos esperar do Faith No More nos próximos anos?

Temos que esperar pra ver. Nós voltamos depois de todos esses anos para tocar as nossas músicas velhas e novas também. Nos últimos anos, quando nos juntávamos para tocar, tocávamos músicas do Faith No More que já existiam e então decidimos escrever novas músicas e não foi algo que havíamos planejado. Nem chegamos a conversar sobre escrever novas músicas, apenas começamos a trabalhar no que seria no novo material da banda porque sentimos que era isso que precisava ser feito. Estamos orgulhosos de ter algo novo para tocar para todos. Daqui a pouco vamos sair em turnê pelos Estados Unidos, vamos tocar as novas músicas e divulgar nosso novo álbum. Por enquanto é isso que vamos fazer em um espaço relativamente curto de tempo. Depois da turnê vamos dar uma pausa, e espero que tenha mais coisa para fazermos.

Tem algum plano do que fazer no Brasil?

Eu quero muito ir na churrascaria ou então comer feijoada. Mas se eu comer, eu não vou conseguir tocar porque com certeza eu vou dormir (risos).

Aqui você ouve a entrevista de Jon Hudson para a Rádio Rock do Brasil:



NOTÍCIAS RELACIONADAS


COMPARTILHE