Redação 89

89 entrevista Tom Linton, guitarrista do Jimmy Eat World

O Jimmy Eat World é uma banda veterana dos Estados Unidos, os caras estão na estrada desde 1993 e têm nove discos lançados.

No entanto, eles nunca tocaram aqui no Brasil. Mas vão acertar as contas com os fãs brasileiros com sua apresentação agendada para às 15h25 do domingo 26 de março, no Palco Skol, do Lollapalooza.

Pra saber sobre a expectativa do Jimmy Eat World de tocar num festival importante em solo tupiniquim, a 89 procurou o guitarrista da banda, Tom Linton.

Por telefone ele contou pra gente curiosidades sobre a carreira, o tempo de pausa entre os integrantes, o álbum “Integrity Blues”… Confira no player abaixo:

Transcrição da entrevista, produzida por Wendell Correia aqui:

89FM: É a primeira vez do Jimmy Eat World no Brasil. Quais são as expectativas?

TOM LINTON: Estamos muito animados! Eu lembro quando estávamos fazendo um show na Califórnia em 1996 e aí alguns jovens brasileiros nos falaram que precisávamos ir ao Brasil porque tínhamos fãs. E isso foi há muito tempo. Estamos muito animados por ser um lugar onde nunca estivemos. Será divertido!

 

89FM: O que você sabe do Brasil?

TOM LINTON: Parece ser muito legal, conheço um pouco. Tem muitas coisas que queremos fazer quando chegar no Brasil, como ir aos mercados, comer algumas frutas e fazer coisas de turistas que provavelmente deve ser chato para quem mora no país, mas para nós será divertido (risos). Estamos animados!

 

89FM: Estão preparando algo especial para o show no Lollapalooza Brasil?

TOM LINTON: Nós lançamos um novo álbum em outubro. Como é recente, não vamos tocar apenas as novidades. Vamos tocar músicas de todos os nossos discos. Acredito que os fãs ficarão felizes com o show que vamos fazer.

 

89FM: Na sua opinião, qual é a importância de um festival como o Lollapalooza?

TOM LINTON: Acho que é algo bom ter um festival como o Lollapalooza. Principalmente para os fãs, que têm a chance de ver bandas que já ouviram falar, mas nunca tinham visto tocar. E para nós, músicos, dá a oportunidade de nos apresentarmos para pessoas que não conhecem muito o nosso trabalho e podem começar a gostar.

 

89FM: Musicalmente falando, qual é a diferença entre o novo álbum Integrity Blues e os outros do Jimmy Eat World?

TOM LINTON: O Integrity Blues é um pouco mais positivo que o anterior. Nós demos um tempo maior no Jimmy Eat World entre os álbuns Damage e Integrity Blues. Foi um ano de pausa onde paramos totalmente e não fizemos nada juntos como músicos. Sempre saíamos em turnê, voltávamos para casa, gravávamos um novo disco e depois viajávamos novamente. Foi bom ter um intervalo maior. Quando nos encontramos no estúdio, focamos em fazer um novo som que ficasse diferente de tudo que já tínhamos feito. Acho que ele ficou mais positivo, talvez um pouco mais eletrônico, com teclados e tudo mais (risos). O álbum anterior ficou com menos detalhes.

 

89FM: O que você fez nesse ano de pausa da banda?

TOM LINTON: Fiquei com a minha esposa e foi bom. Também comecei a lutar boxe três vezes por semana. Mas continuei tocando música pela casa, como piano, guitarra, e tudo mais. Foi ótimo dar um tempo! Todos nós precisávamos disso.

 

89FM: Por quê o nome Integrity Blues?

TOM LINTON: Integrity Blues é o nome de uma das faixas do álbum e pareceu muito bom, combinou com todo o disco. É algo como deixar de lado as expectativas, fazer o que quer fazer na sua vida, viver o momento, e coisas assim. Então é uma coisa boa e um bom título.

 

89FM: Para você, o que significa as músicas “Get It Right” e “Sure And Certain”?

TOM LINTON: “Get It Right” seria algo como achar um ponto na sua vida, talvez em um momento que está para baixo, e se levantar, continuar na luta e melhorar. E não focar em uma culpa que vai te deixar mal. Continue lutando contra isso e tudo vai melhorar. E “Sure And Certain” tem a mesma ideia.

 

89FM: Vocês costumam lançar um álbum a cada três anos. É algo planejado ou apenas coincidência?

TOM LINTON: É uma coincidência até engraçada, tentamos ficar trabalhando cerca de dois anos em cada álbum que lançamos. Mas algumas coisas tomam muito tempo, como turnês, que duram cerca de um ano e meio. O processo de composição dura cerca de oito meses e depois tem a gravação. Leva muito tempo fazer tudo isso. E depois que finalizamos o disco, temos que esperar de seis a oito meses para ser lançado e divulgado e também depende da gravadora para isso acontecer. Então é por isso que demoramos esse tempo.

 

89FM: A música “The Middle” é um grande sucesso. A maioria das pessoas já ouviram em algum lugar. O que significa essa música para você?

TOM LINTON: Significa muito! É uma música importante para a banda. Até hoje vemos muitas pessoas, até crianças, se identificando de alguma forma com ela. E escrevemos há quase 20 anos. Então realmente significa muito para nós e amamos tocar.

 

89FM: Vocês já têm planos para o que fazer depois da turnê do Integrity Blues?

TOM LINTON: Vamos estar em turnê até 2018. Depois disso, já conversamos sobre gravar cerca de quatro músicas e lançar um EP. Então entre os intervalos desses três anos entre um álbum e outro, os fãs vão ter algo para escutar. Vamos estar ocupados tocando a nossa música. Nos divertimos e somos felizes, então vamos continuar.

 

89FM: Como você se prepara antes do show?

TOM LINTON: Nada muito louco. Eu relaxo e faço aquecimentos vocais que parecem estúpidos (risos). Às vezes temos guitarras no backstage e ficamos praticando um pouco ou ensaiando algo que precisamos melhorar. Basicamente é isso. Não fazemos nada louco como sacrifícios de animais ou algo do tipo (risos).

 

89FM: Nestes quase 20 anos de banda, tem alguma história engraçada que aconteceu e você possa nos contar?

TOM LINTON: Há muito tempo, estávamos fechando um contrato com a Capitol Records, e entramos no escritório deles em Nova York e ninguém sabia quem éramos e nos ficavam perguntando o que era ‘Jimmy Eat World’, até que uma moça nos recebeu e foi simpática com a gente. Quando estávamos indo embora, entramos no elevador e ouvimos uma voz dizendo: “lembrem-se: vocês são a prioridade número um!”. Nós começamos a rir, pois pelo jeito estava claro que isso era uma mentira. Éramos prioridade, mesmo sem saber quem nós éramos (risos). É a primeira coisa que eu lembrei agora, mas com certeza tem mais histórias.

 

89FM: As pessoas usarem os celulares durante os shows é algo que te incomoda?

TOM LINTON: Não, nós deixamos usarem os celulares nos nossos shows. Só não gostamos se for uma câmera profissional grande no meio do público. Se as pessoas tiram fotos e filmam enquanto tocamos, tudo bem. Às vezes é um pouco esquisito quando começam a fazer selfies. Mas não tenho nada a ver com isso. Elas pagaram para estar lá com o próprio dinheiro, então não me importo. É sempre divertido.

 

89FM: Quer deixar um recado para os fãs brasileiros do Jimmy Eat World?

TOM LINTON: Olá Brasil, aqui é o Tom do Jimmy Eat World. Pedimos desculpas por ter demorado tanto, mas finalmente vamos tocar no país no final de março. Estamos muito animados! Sabemos que temos alguns fãs que querem nos ver ao vivo há um tempo. Não vemos a hora de nos divertirmos com vocês, será muito bom! Nos vemos em breve.

compartilhe
Comente