SUPERBANNER BONÉ RS

“Lilás”, novo single do Planta e Raiz gravado em Noronha, é uma ode à natureza entoada ao pôr do sol

Redação 89

“Lilás”, novo single do Planta e Raiz gravado em Noronha, é uma ode à natureza entoada ao pôr do sol imagem divulgação

O pôr do sol colossal de Fernando de Noronha é a inspiração do mais novo single da banda Planta e Raiz. O efeito cromático riscando o céu do arquipélago garante o nome do hit: Lilás.

A canção está presente no ‘Planta e Raiz ao vivo em Noronha’, projeto do grupo já em fase de finalização. O show foi gravado em 3 de novembro do ano passado, dentro do forte colonial Nossa Senhora dos Remédios, e vai sair tanto em plataforma de streaming quanto de vídeo. ‘Partiu’, o primeiro single deste novo trabalho, foi lançado no começo de junho.

“Lilás é uma ode à natureza. Uma declaração de amor à vida por termos a chance de apreciar coisas simples e belas, que transformam nossa experiência, como um pôr do sol, por exemplo. E em Noronha, falar de pôr do sol, é covardia. É uma manifestação divina”, diz Zeider Pires, vocalista da banda.

A música foi composta pelo próprio Zeider, em parceria com Lord Natri. A batida inconfundível do reggae é garantida por Franja e Fernandinho, na guitarra, acompanhado de Samambaia, no baixo, e Juliano na bateria. O grande diferencial vem na voz de Laura Pires, de 19 anos, filha de Zeider.

“Imagina a felicidade de um pai em cantar essa música ao lado da filha? Uma letra em que agradeço viver uma vida completa, por fazer o que amo, e trilhar o caminho. Não há presente maior que esse, ainda mais em um cenário como o de Fernando de Noronha”, orgulha-se o vocalista.

Para concretizar a emoção do pai, a mãe precisou montar uma força tarefa infalível. Jana Pires, esposa de Zeider e mãe de Laura, é a empresária da banda Planta e Raiz. Coube a ela toda a organização do show ao vivo. E um dos seus maiores desafios foi justamente encaixar a execução de ‘Lilás’, quando o Sol começava deitar na linha do horizonte no arquipélago pernambucano.

“Não havia margem para erro. A gente estudou o horário antes e percebeu que o pôr do sol era sempre próximo das 18h15. Nosso desafio era iniciar a execução da música ainda com bastante luz, mas já em descida para o público contemplar a estética da letra com o efeito da natureza”, conta Jana.

Inicialmente, no entanto, as coisas pareciam que não iam dar muito certo. “No dia do show ao vivo, o céu amanheceu bastante chuvoso e a gente temeu que fosse dar tudo errado. Mas as horas foram passando e o Sol finalmente abriu. Mas quem disse que nossa aflição acabou? O início do show atrasou e o medo era que não fosse dar tempo do encaixe que havíamos planejado. No final, o resultado foi maravilhoso. Foi emocionante para a empresária, mas sobretudo para a mãe e esposa, ver os dois ali cantando juntinhos”, declara Jana, satisfeita.

Formada em 1998, Planta e Raiz é uma das mais longevas bandas de reggae em atividade no Brasil. Aclamado por seus shows ao vivo, o conjunto já tocou em todas as capitais do país e também se apresentou na Europa, Japão e Austrália.

Mesmo com a extensa bagagem, a aventura em Noronha é, sem dúvida, o maior desafio vivido até aqui. Foram seis meses de preparação para o show, que utilizou apenas fornecedores locais e uma série de participações especiais, como o MC Hariel e a banda percussiva Maracatu Noronha.

Além de Laura, Ziedro, de 14 anos, também filho do casal, faz participação em outra música do ‘Planta e Raiz ao vivo em Noronha’. Ao todo, são 20 faixas do novo álbum, divididos entre 10 sucessos e outras 10 inéditas.

Como forma de retribuir a hospitalidade durante os dias na ilha, os integrantes doaram 34 instrumentos de percussão e corda para estudantes da Escola Arquipélago, da rede estadual de ensino. Além disso, os músicos da Planta e Raiz deram uma aula de iniciação para os jovens aprenderem as primeiras noções musicais.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS