SUPERBANNER BONÉ RS

Max Cavalera diz que está aberto para reunião clássica do Sepultura, mas da “maneira certa”

Redação 89

Max Cavalera diz que está aberto para reunião clássica do Sepultura, mas da “maneira certa” Imagem: Reprodução Instagram

Max Cavalera, ex-guitarrista e vocalista fundador do Sepultura, foi questionado em uma nova entrevista se toparia participar de um show final do lendário grupo. O músico respondeu ao jornalista Sakis Fragos, da Rock Hard Greece, que não foi procurado para algo do gênero.

Ele tentou explicar: “Na verdade, acho que vi uma coisa que o Andreas [Kisser, guitarrista do Sepultura], disse [numa entrevista] tipo, ‘Por que vamos pedir a eles [Max e o ex-baterista do Sepultura Igor Cavalera para participar]? Vão estragar a festa’, o que é muito típico [risos] do Andreas dizer isso (via Blabbermouth).

Max prosseguiu: “Não sei. Acho que vou deixar as coisas acontecerem do jeito que vão acontecer. Não vou forçar nada, e se chegar um momento em que sentimos que devemos fazer um reencontro, ok, tudo bem, desde que façamos da maneira certa. Assim como nessas regravações [dos primeiros álbuns do Sepultura que ele e Igor fizeram recentemente]. Acho que os fizemos do jeito certo – honestos, corretos, de coração.

O ex-Sepultura aproveitou para criticar a ideia de encerrar as atividades da banda: “Não entendo essa ideia. Eu não sei se eles foram forçados a fazer isso, ou se é uma decisão mútua de simplesmente parar de tocar porque você não quer mais fazer isso. Eu não sei. Eu mesmo não posso viver sem música. Preciso tocar ao vivo. É como o ar que eu respiro. Eu amo o que estou fazendo agora com o Igor, com a Cavalera, e vamos continuar”.

No início do anos, Andreas foi questionado pelo jornalista Henrique Inglez de Souza, no canal Rockast do YouTube, se há chance de chamar Max e Iggor para algum show de despedida. Ele comentou: “Já recebemos propostas de alguns festivais como Ozzfest, como o próprio Knotfest, entre outros, pra fazer a reunião. Mas nunca foi adiante, porque a nossa intenção nunca foi essa, de fazer por dinheiro ou por outra coisa que seja”. No entanto, ressaltou que a possibilidade existe em caráter de celebração: “Eu acho que eu quero celebrar, não quero criar tensão, criar situações de ego num lugar onde não precisa. Eu acho que a intenção é celebrar, abraçar um ao outro e agradecer… cada um fez parte um da vida do outro… Mas, vamos ver”.

O Sepultura iniciou em 1º de março, na Arena Hall, em Belo Horizonte, a sua turnê de despedida que prevê shows até o final do ano que vem, passando pelos principais palcos do Brasil e do mundo.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS