Como Ajudar
SUPERBANNER BONÉ RS

“Erasmo Esteves”, álbum póstumo de Erasmo Carlos, apresenta repertório inédito com participações especiais

Redação 89

“Erasmo Esteves”, álbum póstumo de Erasmo Carlos, apresenta repertório inédito com participações especiais imagem divulgação

Erasmo Carlos, cantor, compositor e referência do rock nacional, ganhou nesta sexta-feira (03) um novo álbum assinado pela Som Livre. O projeto, que leva o nome de “Erasmo Esteves”, traz composições inéditas do cantor nas vozes de novos nomes da música brasileira, como Tim Bernardes, Xênia França, Rubel e Emicida, que participam juntos na faixa “Tijuca Maluca”, Chico Chico, Gaby Amarantos, Sebastião, Jota.pê, Marina Sena, Russo Passapusso e Teago Oliveira.

O álbum, que tem produção de Pupillo e Marcus Preto, tem como objetivo reverenciar o legado e a memória musical de Erasmo, mas também esticar o elástico do tempo e juntar os anos de 1960, 2020 e todas as novas gerações para (re)apresentar o Tremendão para além da Jovem Guarda – importante movimento cultural da década de 1960, liberado por Erasmo.

O projeto teve início no ano de 2022, logo após a premiação do Grammy Latino do álbum “O Futuro Pertence à… Jovem Guarda”, realizado em colaboração entre Erasmo Carlos, Marcus Pretto e Léo Esteves, e lançado pela Som Livre. Na ocasião, o compositor havia acabado de ganhar o seu primeiro Grammy, no auge de sua carreira tão madura. ” A cerimônia ainda estava rolando em Las Vegas quando o próprio Erasmo me ligou do hospital no Rio, em chamada de vídeo e falou: “Bicho, ganhamos! Nosso disco ganhou o Grammy! Eu tô chorando, mas é de alegria.” Da minha casa em São Paulo, só pude reagir às lágrimas de menino daquele artista colossal mencionando o que já vínhamos combinando havia um tempo: “Agora, é você sair logo daí pra gente começar o próximo. E vamos ganhar mais uns 30 prêmios com ele”, relembra Marcus Preto sobre as primeiras conversas a respeito do novo álbum.

E em Abril de 2024, após conversas, diálogos e trocas entre Léo Esteves e Marcus Pretto, o álbum “Erasmo Esteves” ganha vida nas vozes de artistas que imprimem o atual cenário da música brasileira. Assinado pela Som Livre, o álbum também reforça a parceria de longa data entre a gravadora e Erasmo, que começou sua carreira com a Som Livre em 1964.

“Estamos muito felizes de ver a proporção que a nossa ideia tomou. Ideia essa que teve início com nosso querido Tremendão, ainda em vida, e que sempre teve o intuito de fazer um álbum dedicado não mais à Jovem Guarda, mas sim ao futuro dela. Aos novos ouvintes. A música que atravessa gerações. Somado a isso, o álbum também leva uma concepção visual grandiosa, com desenhos, rascunhos e letras que resgatam verdadeiramente o espírito do artista, cantor e compositor Erasmo Carlos”, comenta Marcus Preto.

O álbum, traz também uma forte pesquisa visual, realizada por Leo Esteves, e conta com uma série de cadernos, manuscritos, poemas, bilhetes de amor, rascunhos e anotações pessoais de Erasmo. Este material foi o ponto de partida de muitas composições presentes, além de ter sido aproveitado para a capa e projeto gráfico como um todo – liderado pelo time de comunicação da Som Livre.

Como complemento da pesquisa e resgate da memória do compositor, fitas cassete com pedaços de canções inéditas, ideias melódicas e harmonias, material digitalizado pelo especialista Marcelo Fróes, fizeram parte do processo de construção do álbum, que traz a presença de Erasmo em equilíbrio com pessoa física e artista.

“No processo de pesquisa, logo percebemos que havíamos entrado em um ambiente muito íntimo do compositor, no qual o Erasmo “artista” dividia espaço em pé de igualdade com o Erasmo “pessoa física”. O nome do álbum, Erasmo Esteves, veio para sublinhar essa característica”, comenta Marcus.

Com produção de Pupillo e Marcus Pretto, a concepção do álbum é divida pelo próprio Erasmo, Preto e Leo Esteves, filho de Erasmo. As participações, todas definidas entre os precursores do projeto, e com o objetivo de apresentar Erasmo para novos ouvintes, contam com nomes, na ordem alfabética: Chico Chico, Emicida, Gaby Amarantos, Jota.pê, Marina Sena, Rubel , Russo Passapusso, Sebastião, Teago Oliveira, Tim Bernardes e Xênia França.

O time de compositores, responsáveis por finalizar as canções, conta com nomes que já possuem familiaridade com Erasmo, sendo eles: Arnaldo Antunes, Nando Reis, Paulo Miklos, Roberta Campos, Teago Oliveira e Tim Bernardes.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS