Promoção - EU QUERO IR AO SUMMER BREEZE 89

RPM: Fernando Deluqui desmente “história alardeada pela internet”

Redação 89

RPM: Fernando Deluqui desmente “história alardeada pela internet” imagem divulgação

Fernando Deluqui, guitarrista do RPM, publicou um vídeo em seu Instagram nesta segunda-feira (04) para esclarecer, de uma vez por todas, que ele não foi o culpado pelo término da formação clássica da banda. “A mentira do século, a mentira voraz. A verdade vem à tona. Não nos deixam em paz”, cantou Deluqui, adaptando a letra do clássico “Alvorada Voraz” para iniciar sua publicação.

O guitarrista, então, diz: “Qual é a mentira do século? A mentira do século é que e o RPM acabou porque eu queria cantar. Isso é a maior mentira, é ridículo, como é que uma mente consegue pensar num absurdo desse? Porque não faz o menor sentido. O RPM nunca acabou porque eu não queria cantar. Pelo contrário, quando em 2002 fui à casa do outro [Paulo Ricardo] pra conversar sobre eventualmente fazer algumas músicas como vocalista, ele falou que ‘não, não pode, sei lá o que’. Mas também porque é preguiça, né? Poderíamos fazer um álbum duplo, com um monte de músicas, vibe, criatividade, eu poderia cantar umas quatro… Acabou que não teve nenhuma minha nem no disco nem na turnê… Aguentei o tranco”.

Deluqui destaca que mesmo assim o RPM não acabou e diz que essa mentira pegou porque acabou sendo “alardeada” por vários perfis fakes nas redes sociais. “Internet e Youtube é terra de ninguém. Todo munda fala, você não sabe quem é quem… tem até um vídeo que fala ‘O RPM acabou porque o Deluqui queria cantar’, entre outras mentiras deslavadas. Eles só falam mal de mim, pegam o pior de mim, editam, picotam, é uma coisa medonha”.

A formação clássica do RPM com Fernando Deluqui na guitarra, Luiz Schiavon nos teclados, Paulo Pagni na bateria e Paulo Ricardo no baixo e voz fez um sucesso estrondoso nos anos 1980 e se tornou um verdadeiro símbolo do rock nacional. A banda se separou em 1989, retornou em 2001 e votou a romper em 2003. Eles retornariam em 2011, mas disputas pelos direitos do nome “RPM” dissolveram sua formação clássica. Com as morte de Pagni em 2019 e Schiavon em 2023, Deluqui é o único integrante dos anos 1980 a fazer parte da banda, que segue na ativa.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS