Promoção - TEMOS VAGAS 2024 | Lollapalooza

Vocalista do Within Temptation não tem medo de ser criticada por expressar opiniões políticas

Redação 89

Vocalista do Within Temptation não tem medo de ser criticada por expressar opiniões políticas imagem divulgação

Se você é uma daquelas pessoas que acha que os artistas não devem se posicionar politicamente, Sharon Den Adel, vocalista da banda holandesa de metal sinfônico Within Temptation, explica que na idade média os músicos viajavam de um país ao outro e além de suas apresentações, traziam notícias dos locais por onde tinham passado. “Se houvesse uma guerra lá no Sul, meio ano depois, as pessoas ficariam sabendo no Norte, quando os músicos apareciam para fazer suas apresentações, nas quais cantavam e também contavam as histórias do que estava acontecendo no mundo. E eu acho que essa é a essência de ser músico”, disse Sharon numa entrevista ao portal mexicano Summa Inferno (via Blabbermouth).

A cantora destacou que hoje as notícias chegam de maneira instantânea para as pessoas com a internet, mas acredita que é necessário manter a essência do músico de retratar o que ocorre no mundo: “Certas coisas você precisa continuar abordando e falando, como o que está acontecendo no Irã, por exemplo, mas também a guerra na Ucrânia e, claro, agora o que está acontecendo em Gaza e em Israel”.

Alguns desses temas foram abordados no mais recente álbum da banda, “Bleed Out”, lançado em outubro. Para Sharon, é necessário retratar esse momento pelo qual o mundo está passando e não deixar o debate esfriar: “Ninguém fala tanto sobre a Ucrânia ou o que está acontecendo no Irã, porque não está mais no noticiário… é muito importante falar sobre esses assuntos, porque senão vira notícia velha e a briga deles ainda está acontecendo”.

Questionada se tem medo da reação e das críticas que ela e o Within Temptation podem receber por expressarem publicamente suas opiniões políticas, Sharon disse: “Bem, eu acredito na democracia. E acho que também temos voz, e acredito no debate… Em que tipo de mundo queremos viver? Acho que essa é uma boa pergunta. Então eu não tenho medo de me sentir atacada pelo fato de a gente ter um certo ponto de vista… Todos nós podemos ser uma voz e todos nós podemos contribuir para o debate sobre em que tipo de mundo você quer viver e o que você aceita ou não um do outro.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS