SUPERBANNER BONÉ RS

São Paulo celebra a volta de John Frusciante em show memorável do RHCP

Redação 89

São Paulo celebra a volta de John Frusciante em show memorável do RHCP Foto: Anderson Carvalho

Por Wendell Correia

Com um show que teve os ingressos esgotados em poucas horas, os fãs de São Paulo finalmente puderam ver o show do Red Hot Chili Peppers no Estádio do Morumbi, que estava completamente lotado. A energia estava tão boa que o Anthony ainda falou em português “boa noite” e “obrigado” e ainda pediu para o público acender as lanternas dos celulares, o que foi feito várias vezes.

No terceiro show pelo Brasil da atual turnê mundial que começou em 2022, Flea (plantando bananeira), Chad Smith e John Frusciante subiram no palco e fizeram a tradicional “intro jam”. O guitarrista, que voltou a banda em dezembro de 2019, era muito aguardado pelos fãs paulistas. Ele não se apresentava na cidade de São Paulo desde 2002. Logo em seguida, emendaram “Can’t Stop”, com Anthony Kiedis entrando dançando e cantando poucos segundos antes do famoso riff, o que fez o estádio tremer.

Na sequência, vieram mais dois hits: “The Zephyr Song” e “Snow ((Hey Oh))”, o que foi empolgando cada vez mais a galera. Depois, ainda fizeram uma jam que foi praticamente uma música sendo criada ao vivo, para então tocarem uma mais nova, a “Here Ever After”, que está no álbum Unlimited Love, que lançaram em abril de 2022.

O show seguiu com a versão dos Chili Peppers de Havana Affair dos Ramones e mais uma nova: “Eddie”, do álbum Return of the Dream Canteen, esse laçando em outubro de 2022. A música é uma homenagem ao guitarrista Eddie Van Halen e foi feita poucos dias depois que ele faleceu, e contém um incrível solo do John Frusciante. Ele fez outro solo maravilhoso em “Parallel Universe” mostrando porque o guitarrista é tão amado e celebrado pelos fãs. Antes, ainda fizeram outra referência a uma das bandas que gostam com “Latest Disgrace” do Fugazi, assim como fizeram no famoso show do Slane Castle em 2003.

Então, chegou a hora da emocionante balada “Soul to Squeeze” para depois agitar de novo com “Right On Time” (precedida com a introdução de “London Calling” do The Clash) mostrando que além de exímio guitarrista, John Frusciante também faz excelentes backing vocals. Entre as novidades, ainda tocaram “Tippa My Tongue” antes do hit “Tell Me Baby”.

John ainda cantou com voz e guitarra uma versão de “Terrapin” do Syd Barrett antes de mais uma vez a banda impressionar a todos com “Don’t Forget Me”. Antes do hit “Californication” fazer o estádio inteiro cantar, teve a tradicional jam entre Flea e John enquanto Chad e Anthony descansavam um pouco.

Perto do final, tocaram o mais recente hit “Black Summer” com uma bela imagem no telão ao fundo da banda que mostrava o sol nascendo. Antes do bis, “By The Way” fez todo mundo pular.

Na volta, dois clássicos do Blood Sugar Sex Magik encerraram o show de cerca de 1h45: “Under The Bridge” e “Give It Away”. Emocionados, a banda se despediu dos fãs, principalmente Chad, que tocou com uma bandeira do Brasil no seu kit de bateria e que fez questão de agradecer os fãs a estadia que está tendo no país.

Fotos: Anderson Carvalho



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS