Como Ajudar
SUPERBANNER BONÉ RS

The Great Leslie: o Manifesto Musical da Igualdade no Século 21

Redação 89

The Great Leslie: o Manifesto Musical da Igualdade no Século 21 imagem divulgação

Por Leandro Alsaro

The Great Leslie é uma banda jovem com dois anos e meio de trajetória, formada durante o rigoroso lockdown que o Reino Unido enfrentou em 2020. Eles decidiram compor músicas que abordassem as complexidades que o mundo enfrentava naquela época de pandemia. Mais do que apenas uma banda, eles se consideram uma ideia, o que fica evidente na natureza profundamente envolvente de suas composições.

E compor era a sua intenção, e durante esse período eles lançaram uma série de singles de alta qualidade, incluindo faixas como “Liquid Spells”, “Feel Alive”, “Money” e “All Good Things”. Rapidamente conquistaram reconhecimento do público e da crítica britânica e europeia, chegando a abrir os shows da turnê europeia do Franz Ferdinand e ganhando prêmios, bem como fazendo aparições nas rádios britânicas.

No entanto, Ollie Trevers (vocal e guitarra), Ryan Lavender (bateria), Alfie Pawsey (baixo) e Freddie Miles (guitarra) aspiravam dar passos adicionais, e talvez um dos mais decisivos seja o lançamento de seu segundo EP, 21st Century Problems, que está disponível nas plataformas digitais a partir desta sexta-feira (15). Neste novo trabalho, os integrantes da banda aprofundam-se ainda mais em questões que afetam profundamente todas as camadas da sociedade, independentemente do país, seja no Brasil ou no Reino Unido. Emergem temas atuais, como a violência contra as mulheres, o crescente nacionalismo associado ao discurso fascista, a discriminação contra minorias e uma forte crítica à imigração. O The Great Leslie, que já se autodefiniu como uma ideia, finalmente lança seu manifesto por meio de suas cinco faixas.

Ollie Travers fala sobre o primeiro single deste trabalho, “Aliens”: “Começamos a escrever ‘Aliens’ no Studio 2 do Abbey Road Studios, e me vi querendo evocar os sentimentos de ‘Get Back’ após assistir ao documentário, especialmente porque a retórica anti-imigração que prevalecia naquela época, com figuras como Enoch Powell, ainda é muito presente na política britânica hoje em dia. A música é um protesto alimentado pela indignação, explorando as tendências fascistas subjacentes na história do Reino Unido e destacando como as coisas não mudaram, especialmente no discurso político. Em sua essência, ela afirma que, independentemente da raça, religião, crença ou cor, contrariamente ao que muitos falsos nacionalistas possam afirmar, nenhum grupo tem mais direito de existir em um lugar do que outro. Todos somos igualmente dignos de habitar qualquer terra”.

Essa é uma declaração forte vinda do vocalista desta banda jovem. No início, eles pareciam criar música por diversão, mas com 21st Century Problems, fica claro o destino que esses jovens de Londres desejam alcançar e a mensagem que desejam transmitir com suas músicas.

E não pensem que o The Great Leslie vai parar por aqui este ano. Está programado o lançamento do primeiro álbum ao vivo, gravado no lendário Estúdio 2 do Abbey Road Studios, para 1º de dezembro. Além disso, para 2024, estão planejados mais três EPs e shows!

O caminho à frente parece promissor para o futuro do The Great Leslie. Não deixem de conferir o novo EP e seus singles anteriores. Eles encapsulam o verdadeiro espírito do rock, abordando questões profundas com muita originalidade. O The Great Leslie está destinado a deixar sua marca e ouviremos muito mais deles no futuro.

Ouça na íntegra o EP 21st Century Problems no player abaixo:

Aqui o single “Aliens”:



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS