SUPERBANNER BONÉ RS

Setembro amarelo marca 10 anos da morte de Champignon do Charlie Brown Jr

Redação 89

Setembro amarelo marca 10 anos da morte de Champignon do Charlie Brown Jr imagem divulgação

Já passava de meia noite quando o baixista Champignon chegou ao apartamento no Morumbi. Era uma segunda-feira, dia 9 de setembro de 2013, quando o músico de 35 anos entrou pela última vez no quarto que utilizava como estúdio.

Com diversos prêmios no currículo e milhões de discos vendidos com o Charlie Brown Jr, Champ seria pai pela segunda vez. Além disso, dali a 10 dias seria lançado um CD póstumo da banda com as últimas gravações de Chorão e o grupo A Banca gravaria o clipe da música “O novo passo”, cuja letra trata justamente de coragem para recomeçar. Com o disco, viria uma nova turnê e, com ela, as viagens, os shows e os cachês.

No entanto, nada disso foi capaz de salvar a sua vida. Champignon estava mergulhado em dificuldades financeiras e sofria de depressão. A tristeza do baixista e agora vocalista se agravara muito desde a morte de Chorão, em março, e do guitarrista Peu Sousa – com quem tocara na banda Nove Mil Anjos ao lado do baterista Junior Lima – em maio.

Ao entrar no apartamento, Champ entrou no cômodo onde guardava os instrumentos e, sem titubear, pegou a pistola .380 e deu um tiro de teste. Em seguida, apontou para o lado direito da cabeça, acima da orelha, e atirou. Faleceu imediatamente. Por ironia do destino, na véspera do dia mundial de prevenção ao suicídio.

LIVRO DE 496 PÁGINAS CONTA A HISTÓRIA DO BAIXISTA

Para que a sua história não seja esquecida e, importante, sirva como um sinal de atenção para outros jovens, em setembro de 2023 foi lançada a biografia “Champ – a incrível história do baixista Champignon do Charlie Brown Jr” (Ilustre Editora, 496 páginas), do jornalista e escritor Pedro de Luna, também autor da biografia da banda Planet Hemp e do rapper Speedfreaks.

Publicado com o apoio dos fãs através de uma campanha de financiamento coletivo na Kickante, o livro conta tudo, nos mínimos detalhes. Da infância em viagens de navio, onde se deleitava vendo o seu pai e os marinheiros tocando violão, até a amizade com o Chorão, a criação do Charlie Brown Jr e os ônus e bônus do sucesso.

Fruto de uma extensa pesquisa, com dezenas de entrevistas, inclusive com parentes e músicos que tocaram com Champignon, a biografia também explica o motivo da saída dos integrantes do CBJr em 2005 e o retorno de Champ e Marcão anos depois. E, claro, tudo o que se sucedeu dali até a morte do baixista e do vocalista num intervalo de apenas seis meses.

10 ANOS DA MORTE DE CHAMPIGNON

Para que os 10 anos sem Champignon não passe em branco, além das postagens diárias na página da biografia no Facebook e no Instagram, o autor do livro e os familiares do músico pedem que os fãs façam uma oração para Luiz no próximo dia 9 de setembro. Aqueles que puderem, que façam também uma postagem em redes sociais usando a hashtag #champignon
Aos que puderem, também são bem-vindas doações para o Centro de Valorização da Vida (CVV) e a aquisição do livro “CHAMP” em livrarias e sites de e-commerce como UmLivro, Estante Virtual e Amazon.

Saiba mais no Instagram no perfil @BiografiaChamp.



COMPARTILHE