SUPERBANNER BONÉ RS

The Town: conheça o plano de acessibilidade do festival

Redação 89

The Town: conheça o plano de acessibilidade do festival imagem divulgação

A Cidade da Música será aberta ao público pela primeira vez no próximo sábado, dia 2 de setembro, e promete ser um lugar mágico para as 500 mil pessoas que viverão dias memoráveis nesta primeira edição histórica. O público PCD terá toda estrutura necessária para uma experiência inesquecível, priorizando o conforto e segurança. O The Town já nasce com o compromisso de ser um festival plural e terá uma equipe de acolhimento preparada para atender o público em casos de racismo, homofobia, transfobia e outros, além de situações de crise de pânico e ansiedade. Entre as ações criadas pela equipe de acessibilidade do festival, está um plano de rotas elaborado por conta dos desníveis na geografia do Autódromo de Interlagos. O público também poderá pegar cadeiras de rodas emprestadas, assim como o kit livre – um equipamento elétrico que torna as cadeiras de rodas motorizadas. Nos palcos Skyline, The One, Factory e New Dance Order, haverá plataformas e espaços para PCD’s e grupos prioritários sujeitos a lotação. O agendamento de brinquedos será prioritário até que se esgotem. Além da Central de Acessibilidade, o público contará com uma sala de regulação, kits sensoriais, mapas táteis, tradução de músicas para Libras, áudio descrição dos shows e transporte especial saindo do SP Market em direção à Cidade da Música, com revista e catraca exclusivas e muito mais.

Logo na compra do ingresso, o fã PCD pode se identificar para facilitar o atendimento no festival. Mediante apresentação de documentos, é possível comprar meia-entrada para a pessoa com deficiência e mais uma meia-entrada para seu acompanhante. Caso haja alguma dúvida, é possível entrar em contato com a área de suporte ao fã pelo site. O The Town acontece nos dias 2, 3, 7, 9 e 10 de setembro no Autódromo de Interlagos. Os portões da Cidade da Música se abrem às 14h e a dica é chegar cedo para aproveitar cada detalhe.

“Estamos preparando a Cidade da Música para que as pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida possam curtir a experiência na Cidade da Música com o maior conforto possível, segurança e dignidade. Preparamos um plano de acessibilidade que engloba toda e qualquer inclusão, pois muitos PCDs deixam de participar de algo por achar que não serão recebidos adequadamente. A Cidade da Música será para todos e, assim como o Rock in Rio, certamente é uma porta de entrada para outros festivais voltarem sua atenção para pessoas com necessidades especiais”, afirma Thiago Amaral, Coordenador de Acessibilidade e Pluralidade da Rock Word.

Uma cidade acessível a todos 

A atenção com a acessibilidade do festival começa já no caminho à Cidade da Música. O público PCD terá à disposição um serviço exclusivo de vans adaptadas que sairão do SP Market (Av. das Nações Unidas, 22540 – Jurubatuba, São Paulo), onde também acontecerá o cadastro do público PCD, em direção à Cidade da Música, das 13h30 às 21h. Será permitido um acompanhante por pessoa e há estacionamento particular no local, que ficará aberto até as 4h da madrugada nos dias de evento. A última van de retorno ao SP Market deixa o festival às 3h, uma hora após o fim da programação. Vale lembrar que não haverá estacionamento no local e que as vias do entorno estarão fechadas, podendo gerar lentidão no fluxo de veículos.

Uma vez no The Town, o público PCD passará por revista e catracas exclusivas. Em seguida, os fãs seguem em transportes especiais para o acesso de gramado ou vip, dependendo do ingresso. Além disso, as duas entradas de público geral terão catracas preferenciais para PCD e 60+. Ao chegar na Cidade da Música, uma equipe de apoio dedicada estará disponível para auxiliar da melhor maneira possível pessoas com alguma prioridade. O Centro de Serviços de Acessibilidade é o principal espaço de atendimento para pessoas com deficiência física, pessoas com deficiência auditiva, pessoas com deficiência visual, pessoas obesas, pessoas com deficiência intelectual, pessoas com síndromes variadas, pessoas com comorbidade, pessoas com mobilidade reduzida, gestantes, idosos e lactantes. O local vai concentrar o atendimento e suporte ao público PCD.

No The Town será possível o empréstimo de cadeiras de rodas, além da solicitação do kit livre – um equipamento elétrico, que faz com que cadeiras de rodas se tornem motorizadas, facilitando a locomoção. O equipamento é emprestado já com uma cadeira de rodas acoplada, estando sujeito à disponibilidade. Outro ponto importante de locomoção é que, por mais que o Autódromo de Interlagos possua limitações de mobilidade, com alguns desníveis e aclives naturais do terreno, além de trechos com grama natural, a organização aposta em soluções, como rotas para a circulação do público com dificuldade de locomoção.

Aqueles que vão acompanhar as apresentações do Skyline e The One podem direcionar-se até as respectivas plataformas elevadas, que ficam a um metro de altura em relação ao solo (sujeitas a lotação) e no Factory e New Dance Order, podem direcionar-se aos espaços exclusivos, possibilitando uma melhor visibilidade para os shows (sujeitos a lotação). Os espaços Sinta o Som, localizadas próximo às caixas de som para trazer a vibração da música, também receberão deficientes auditivos. Os fãs que desejarem acessar o espaço devem comparecer na lateral do palco, em até 30 minutos antes do show. Skyline, The One e Factory contarão ainda com intérpretes em libras, fazendo a tradução simultânea das músicas. Ainda durante os shows, pessoas cegas ou com baixa visão poderão contar com o serviço de audiodescrição dos espetáculos no The Town – O Musical, Skyline e The One. Por meio de rádios transmissores será possível compreender tudo que se passa nos palcos, sendo descrito por profissionais especializados.

O público PCD também poderá se divertir nos brinquedos. A roda gigante, por exemplo, conta com uma cabine acessível para cadeira de rodas para que todos possam curtir o visual da cidade das alturas. Já para subir e saltar da tirolesa, será disponibilizada uma cadeira escaladora automática. Será feito um agendamento prioritário para os brinquedos. Por meio de um voucher com o horário marcado, o público PCD tem acesso aos brinquedos sem enfrentar filas.

A Cidade da Música conta ainda com mapas táteis, posicionados em alguns lugares estratégicos e com legendas em braile para as pessoas com deficiência visual se localizarem. Também foram instalados pisos táteis de alerta para orientação e maior segurança dos deficientes visuais. Quem utiliza cão-guia terá um ponto de apoio no Centro de Serviços para manter o bem-estar do animal durante o festival, com hidratação, alimentação e área para realizar as necessidades fisiológicas. Banheiros acessíveis estarão por toda a Cidade da Música e são unissex para garantir a entrada do acompanhante, caso necessário, além de serem de uso exclusivo de pessoas com deficiência e serem adaptados para pessoas estomizadas. Os balcões de atendimento dos restaurantes da Cidade da Música são rebaixados e com indicação para fila prioritária.

Ao lado da Central de Acessibilidade, haverá uma Sala de Acomodação e Regulação Sensorial, indicada especialmente àquelas que possuem Transtorno de Processamento Sensorial (TPS) – com iluminação e som reduzidos, proporcionado um ambiente acolhedor. Há ainda uma equipe de terapeutas apta para atender às necessidades desses usuários. Também pensando no conforto do público com TEA (Transtorno do Espectro Autista), Kits Sensoriais, para autorregulação dos mesmos, estarão disponíveis conforme capacidade de atendimento.



COMPARTILHE