Como Ajudar
SUPERBANNER BONÉ RS

Três álbuns de estúdio da Lush voltam a ser produzidos em vinil

Redação 89

Três álbuns de estúdio da Lush voltam a ser produzidos em vinil imagem divulgação

Os três álbuns de estúdio da Lush voltaram a ser produzidos em vinil. Construído em torno dos talentos da composição Emma Anderson e Miki Berenyi, a Lush definiu com sucesso uma miríade de cenas dos anos 90, como shoegaze, dream pop e Britpop, antes de se separar em 1998. Uma banda muito amada que se reformou brevemente em 2016, nos últimos anos viu um novo público jovem se apaixonar por sua música depois de descobri-la via TikTok, Spotify etc e tal. E fora de uma luxuosa edição retrospectiva no Record Store Day em 2016, todos os três álbuns de estúdio – Spooky (1992), Split (1994) e Lovelife (1996) – não estão disponíveis em vinil desde os anos 90.

Com a demanda alta, a banda tem trabalhado com o renomado engenheiro/produtor Kevin Vanbergen para ajudá-los a remasterizar seu catálogo, começando com seus álbuns de estúdio. Usando as fitas originais como material de origem, Kevin trabalhou meticulosamente nelas para criar novos e impressionantes masters de 24 bits que capturam perfeitamente a emoção dos originais. Eles nunca soaram tão bem.

Trabalhando com os designers internos da 4AD v23 em todos os lançamentos, a arte do álbum sempre foi fundamental para o apelo da Lush também. Para essas, os dois primeiros álbuns virão em seus designs originais, enquanto Lovelife usa a arte de seu boxset de 2016 para manter a capa de papel vegetal colecionável de 1996 exclusiva para a prensagem inicial.

Para essas prensagens, todos os três títulos são lançados em vinil preto clássico e vinil ultratransparente – este último disponível exclusivamente em lojas selecionadas e na loja virtual da 4AD. CDs também estarão disponíveis ainda este ano. Mais sobre isso em breve.

Além disso, a loja americana de colecionáveis Bandbox está trazendo um conjunto superlimitado de todos os três títulos em cores exclusivas (Spooky em vinil laranja, Split em amarelo e Lovelife em violeta). Esta versão também inclui um fanzine especial dedicado à banda.

Spooky
Lançado originalmente em 27 de janeiro de 1992.
Com alguns EPs e um mini-álbum (Scar) marcando o cenário, Spooky é o primeiro álbum de estúdio da Lush. Um texto chave para a música indie britânica após a virada de uma década, foi produzido pelo colega de gravadora Robin Guthrie (Cocteau Twins) e apresenta os singles ‘Nothing Natural’, ‘For Love’ e ‘Superblast!’ (AQUI).

A1. Stray
A2. Nothing Natural
A3. Tiny Smiles
A4. Covert
A5. Ocean
A6. For Love

B1. Superblast!
B2. Untogether
B3. Fantasy
B4. Take
B5. Laura
B6. Monochrome

Split
Lançado originalmente em 13 de junho de 1994.
Apresenta os singles ‘Desire Lines’ e ‘Hypocrite’, é o segundo álbum de estúdio completo da Lush. Produzido por Mike Hedges – famoso por seu trabalho em The Cure, Seventeen Seconds e Siouxsie e The Banshees, A Kiss in the Dreamhouse – e mixado por Alan Moulder, Split vê a banda atingir um som mais direto, mantendo sua sensação quase obscura (AQUI).

A1. Light From A Dead Star
A2. Kiss Chase
A3. Blackout
A4. Hypocrite
A5. Lovelife
A6. Desire Lines
A7. The Invisible Man

B1. Undertow
B2. Never-Never
B3. Lit Up
B4. Starlust

Lovelife
Lançado originalmente em 5 de março de 1996.
O último álbum de estúdio de Lush, Lovelife, tratou do “Britpop o contraponto feminista de que ele tanto precisava” (Pitchfork). Produzido por Pete Bartlett (Therapy?, Kitchens of Distinction), traz três dos maiores singles da banda em ‘Single Girl’, ‘Ladykillers’ e ‘500 (Shake Baby Shake)’, com Jarvis Cocker também apresentado no final da primeira metade em ‘Ciao!’ (AQUI).

A1. Ladykillers
A2. Heavenly Nobodies
A3. 500
A4. I’ve Been Here Before
A5. Papasan
A6. Single Girl
A7. Ciao!

B1. Tralala
B2. Last Night
B3. Runaway
B4. The Childcatcher
B5. Olympia



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS