Como Ajudar
SUPERBANNER BONÉ RS

Roger Waters retorna ao Brasil em 2023 para uma série de shows, diz jornalista

Redação 89

Roger Waters retorna ao Brasil em 2023 para uma série de shows, diz jornalista imagem divulgação

Roger Watrers, ex-baixista do Pink Floyd, é mais um dos grandes nomes internacionais que deverão desembarcar no Brasil para apresentações ao vivo ao longo de 2023. A informação de que o veterano músico fará shows em território tupiniquim foi ventilada na noite desta segunda-feira (13) pelo jornalista José Norberto Flesch, que é conhecido por antecipar anúncios de importantes eventos.

Utilizando seu canal no YouTube, Flesch comentou que Waters estará entre os brasileiros no final de novembro e início de dezembro do ano que vem. No entanto, disse que ainda não há locais e datas definidos. “Ele gosta de fazer turnês longas, ele gosta muito do Brasil”, ressaltou o jornalista, sugerindo que Waters deverá acertar uma agenda que contemplará diversas cidades brasileiras.

A última turnê do ex-Pink FloydUs + Then, que promoveu seu mais recente álbum de estúdio Is This a Life We Really Want, passou pelo Brasil em outubro de 2018 e causou grande ruído na mídia com uma entrevista de Waters publicada pelo Brooklyn Vegan, na qual ele revelou ter recebido ameaça de prisão ao se juntar ao movimento #EleNão, contrario à eleição do então candidato à presidência Jair Bolsonaro.

“Eu queria visitar Lula quando chegamos ao sul, onde ele estava na prisão e o juiz local [uma juíza] me negou essa oportunidade. Porque era um momento muito sensível, estava chegando à eleição”, disse o músico, afirmando ainda que “o colocaram na prisão [Lula] sob acusações falsas de corrupção”. A respeito de ameaças que teria recebido no Brasil, disse que sua segurança sugeriu que ele mudasse de hotel no Rio de Janeiro, mas recusou.

O conteúdo político das apresentações de Waters ao longo da turnê Us + Then causou uma espécie de rixa em sua base de fãs, no entanto, ele não se surpreende com o fato de alguém que diz gostar do Pink Floyd posicione-se contrário ao que ele apresenta em seus shows. “As pessoas dizem ‘eu não vim aqui para ouvir sua política’. E eu pergunto: ‘então, por que você veio?’. Você não precisa concordar com a política! Então, as pessoas saiam dos shows na América do Norte reclamando ou exigindo seu dinheiro de volta [na época seu show era totalmente contrário ao então presidente Donald Trump]. E isso ocorreu porque elas não tinham ideia de quem eu sou ou o que eu faço. Elas apenas pensavam que sabiam, e descobriram que não sabiam”, disse Waters.

O músico, nessa mesma entrevista, ainda citou a página do Pink Floyd no Facebook com 30 milhões de seguidores – a qual ele não administra – e sugeriu que seria interessante que as pessoas que estão lá se perguntassem: “Por que eu curto o Pink Floyd?”.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS