Como Ajudar
SUPERBANNER BONÉ RS

GP Week: veja como foi o festival que reuniu The Killers e Twenty One Pilots

admin

GP Week: veja como foi o festival que reuniu The Killers e Twenty One Pilots Foto: Anderson Carvalho

Por: Gabriel Alegreti

A primeira edição do GP WEEK – festival que conecta automobilismo com música – aconteceu nesse último sábado (12), no Allianz Parque.

O megaespectáculo contou com Fresno, The Band Camino, Hot Chip, Twenty One Pilots e The Killers. A Fresno abriu as apresentações do dia e começou seu setlist com “Essa Coisa (Acorda-Trabalha-Repete-Mantém)”, quinta faixa do “Vou ter Que Me Virar”, último álbum da banda. Desse mesmo álbum, foram tocadas “ Vou Ter Que Me Virar”, “Fudeu”, “Já Faz Tanto Tempo” (música gravada com a participação do Lulu Santos), “Agora Deixa” e “Casa Assombrada”. Além disso, eles tocaram sucessos como “Quebre as Correntes” e “Diga, parte 2”.

O vocalista Lucas Silveira foi extremamente carismático, falou do movimento emo e enalteceu os fãs. No final do show, a galera do estádio se reuniu em coro para agradecer: “é a melhor banda do Brasil, Fresno!”

Em seguida, foi a vez do The Band Camino, banda norte-americana, formada em 2015 no Tennessee. Eles iniciaram tocando “know It All” e foram bem recebidos pela plateia. Depois, o grupo apresentou “Roses”. Como também, sucessos como “2/14”, “Song About You”, “Never a Good Time”. O vocalista Jeffery Jordan estava bastante animado em tocar no Brasil pela primeira vez, ele interagiu bastante com os espectadores. As três últimas músicas – “See Through”, “1 Last Cigarette”, “Daphne Blue” – contaram com a participação do guitarrista brasileiro Mateus Asato. O guitarrista Spencer Stewart e o baterista Garrison Burgess vestiram a camisa Palmeiras no momento do bis. Por fim, o The Band Camino agradou o público e certamente ganhou novos fãs após esse show.

Hot Chip veio na sequência e começou fazendo o estádio tremer com as batidas graves e com os sons de sintetizadores. O grupo eletrônico tocou 12 músicas, entre elas, as consagradas: “Ready For The Floor”, “Over and Over” e “Huarache Lights”. A performance foi ótima, porém o público em geral não se envolveu tanto. Os fãs da banda gostaram do show. O multi-instrumentista Rob Smoughton, mais conhecido como “Grovesnor”, passou na Galeria do Rock, um pouco antes do evento começar, para comprar discos na loja London Calling.

Logo depois, rolou um dos shows mais esperados: o do Twenty One Pilots. Foi um espetáculo! O duo começou usando balaclavas na cabeça e iniciou a apresentação com “Guns For Hands”. Na música “Holding on to You”, o baterista Josh Dun sobe em cima do piano e dá um mortal, isso foi só o começo do que viria pela frente. O vocalista Tyler Joseph já é conhecido pela interação com os fãs e na música “Mulberry Street” organizou um jogo de luzes, combinado na hora, com o público do Allianz. O cenário muda e eles fazem um luau. Nesse momento são tocados os medleys “The Judge / Migraine”, “The Hype / Nico and the Niners / Tear in My Heart” e “House of Gold / We Don’t Believe What’s on TV”. Depois disso, “Aquarela do Brasil” é tocada pelo trompetista da banda, ela se misturou com o tema do jogo Halo e nesse instante começa a sair fogo do palco. Outro momento marcante do show foi quando o Josh foi para o meio da galera tocar bateria, numa estrutura móvel, na música “Ride”. Porém, o clímax da noite rolou quando o Tyler abriu um corredor do palco até o House Mix e subiu a estrutura toda sem equipamento de proteção. Ele cantou e tocou lá de cima a música “Stressed Out”.

No final, o duo tocou “Trees” e o Tyler se enfia no meio dos fãs para tocar percussão. O Twenty One Pilots entregou tudo o que tinha e deixou um show que ficará na história!

A banda The Killers fecha o festival com uma missão difícil: superar o TØP. Eles começaram com entusiasmo e iniciaram o setlist com “My Own Soul’s Warning”.

Após isso, eles revisitaram o álbum de 2006, o “Sam’s Town” e tocaram duas músicas desse disco: “Enterlude” e “When You Were Young”. Eles tocaram o novo single “Boy” e clássicos da discografia como “Human”, “Somebody Told Me”, “Spaceman” e “Mr. Brightside” – que foi a última música tocada no festival. O público se surpreendeu com a animação do frontman Brandon Flowers. Ele até falou português no show: “vocês estão cansados da gente?” A banda convidou um fã para tocar bateria na música “For Reasons Unknown”. O sortudo se chama Raphael. Ele mandou muito, parecia que já era habituado a tocar para multidões. O Brandon estava tocando contrabaixo com muita animação nesse momento, e o vocal brinca com o fã: “ele não quer mais sair daqui”.

O The Killers fez um baita show e os brasileiros estão ansiosos para o show de Brasília, que rola nessa segunda (14). Por tudo isso, o GP WEEK fez sua estreia com êxito. Sem dúvida nenhuma deixou memórias extraordinárias. O festival tem tudo para crescer e contar com mais dias e atrações para as próximas edições.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS