Como Ajudar
SUPERBANNER BONÉ RS

Hot Chip libera faixa-título de seu novo álbum “Freakout/Release”

Redação 89

Hot Chip libera faixa-título de seu novo álbum “Freakout/Release” imagem divulgação

O Hot Chip liberou nesta terça-feira (02) a terceira faixa de seu novo álbum Freakout/Release, que chega em 19 de agosto via Domino. A faixa-título de seu oitavo disco, o som de “Freakout/Release” bate diferente dos singles compartilhados anteriormente “Eleanor” e “Down”.

“Freakout/Release” é mais parecido com o brilhante cover de “Sabotage” dos Beastie Boys, o que deu início ao processo de escrita do novo LP. Na nova música, o quinteto usa vocoders distorcidos, guitarra e percussão pulsante para aproveitar essa energia irreplicável. E enquanto Alexis Taylor canta “I need a escape and some primitive healing”, ele destila os temas do álbum, “Life’s what you make it… Make a sound and throw the shapes”.

Sobre a música, Taylor diz: “Freakout/Release é sobre energia reprimida e a necessidade de liberação e fuga. É também sobre dar sentido à música e, às vezes, ser atormentado pela coisa em que você se concentra – a música nunca sai da minha cabeça por um segundo, o que geralmente é uma sensação boa, mas às vezes também pode parecer claustrofóbica. É também encontrar o seu lugar em relação à música e à performance. O riff deveria soar brutal e Joe estava pensando no Seven Nation Army e na simplicidade disso, indo do baixo ao alto e para frente e para trás.”

Freakout/Release é o novo lançamento da já estabelecida Hot Chip, que segue criando uma composição rica, ressoante e inovadora. Escrito e gravado no estúdio Relax & Enjoy da banda em Londres, um espaço criativo que Al Doyle montou antes e durante o primeiro ano da pandemia do COVID-19. A união no estúdio Relax & Enjoy foi essencial para estabelecer o som do álbum e marca a primeira vez que Hot Chip começou a trabalhar em um novo álbum juntos, além de reuni-los na mesma sala pela primeira vez após a turnê de A Bath Full Of Ecstasy, de 2019.

Liricamente, Freakout/Release explora emoções mais sombrias do que os álbuns anteriores do Hot Chip, extraindo do pessoal e do político para traçar as maneiras pelas quais as pessoas sobrevivem mesmo em meio a lutas imóveis. “Vivemos um período em que era muito fácil sentir que as pessoas estavam perdendo o controle de suas vidas de maneiras diferentes”, explica Goddard. “Há uma escuridão que percorre muitas dessas faixas.”

Ao longo dos últimos 18 anos, Hot Chip se estabeleceu entre luminares britânicos como Pet Shop Boys e Depeche Mode – uma verdadeira ponte entre os mundos da música pop e dance, com um catálogo de músicas que movem corpos e tocam corações com igual impacto.



COMPARTILHE