Como Ajudar
Especial U2

Cobrado por fã ucraniana de 19 anos, Roger Waters posiciona-se sobre invasão russa

Redação 89

Cobrado por fã ucraniana de 19 anos, Roger Waters posiciona-se sobre invasão russa imagem divulgação

Roger Waters, ex-baixista do Pink Floyd, classificou a intervenção militar da Rússia na Ucrânia como criminosa em uma mensagem publicada nesta quarta-feira (09) em suas redes sociais. A publicação feita em vídeo ao som da canção “The Gunner’s Dream” foi uma resposta à uma carta enviada por uma fã ucraniana de 19 anos, que pediu seu posicionamento.

Respondendo à Alina Mitrofanova, Waters disse: “Estou enojado com a invasão da Ucrânia pelo [presidente russo Vladimir] Putin. É um erro criminoso no meu ponto de vista, o ato de um gângster. Terá que haver um cessar-fogo rápido”. Ele também criticou os líderes do ocidente ao dizer: “Lamento que os governos ocidentais estejam alimentando o fogo que arruinará sua nação despejando armas na Ucrânia, como uma alternativa de participar da diplomacia que será essencial para cessar o massacre”.

Waters comentou que fará o que estiver ao seu alcance para ajudar a colocar um ponto final no conflito, algo “além de agitar uma bandeira para persuadir o massacre”. Ele escreveu: “Isso é o que os gângsteres querem, eles querem que a gente acene bandeiras. É assim que eles nos dividem e nos comandam, encorajando o acenamento das bandeiras, a construir uma cortina de fumaça”.

O ex-Pink Floyd ressaltou que o líder russo não é o único “gângster” da política e relembrou a invasão do Iraque, o conflito envolvendo israelenses e palestinos, os bombardeios na Líbia e na Sérvia, tudo realizado, segundo ele,  sob ordens de ex-presidentes norte-americanos.

Waters já havia se pronunciado sobre o conflito na Ucrânia em um texto publicado no site Scoop em 4 de março, no qual pede um cessar-fogo imediato para o bem da humanidade (AQUI).

A íntegra da carta da fã ucraniana de Roger Waters está disponível abaixo:

Olá!

Meu nome é Alina Mitrofanova, tenho 19 anos e moro na Ucrânia. Hoje meu país está resistindo à invasão russa e à verdadeira guerra iniciada pelo presidente russo e liderada pelo exército russo.

Sou grande fã do Pink Floyd e de Roger Waters e seria muito importante para mim ouvir a opinião de Roger sobre toda essa situação. Pode não parecer tão urgente e crítico, porque essa guerra pode ser considerada só “nosso problema”, mas infelizmente rapidamente ela se torna uma catástrofe para toda a Europa e para o mundo.

A guerra começou há 11 dias e todos os dias ouvimos sirenes que sinalizam bombas lançadas pelos russos. A agressão da Rússia destrói o MEU país, mata centenas de adultos e crianças inocentes no MEU país, e não posso explicar quantos ucranianos são forçados a deixar suas casas e fugir dessa loucura. As cidades do leste ucraniano estão sendo destruídas pelo exército russo, centenas de milhares de pessoas estão sendo evacuadas e se tornando refugiadas, e seu número está aumentando a cada minuto. Estou com dor, como muitos outros ucranianos, porque dói muito ver como MEU país virou um alvo militar para a Rússia e seu líder louco, que está convencido de que existem “neonazistas”, que precisam ser mortos. É uma grande mentira, porque eu moro aqui e posso dizer 200% que não há pessoas assim!

Peço a Roger para falar publicamente sobre essa guerra, porque ainda não consigo entender como uma pessoa que escreveu uma quantidade significativa de letras antiguerra ainda não falou sobre nada sobre essa tragédia. Além disso, entendo perfeitamente que o ponto de vista de Roger pode ser diferente, mas peço que ele compartilhe sua opinião sobre essa guerra. É melhor do que apenas ficar em silêncio, porque nessa situação o silêncio é um dos piores inimigos – é impossível construir um muro nessa situação e ficar isolado desse problema.

Tenho 95% de certeza de que esta carta não será entregue diretamente ao Roger, e seria um milagre se eu tivesse uma resposta. No entanto, um homem que fala sobre os riscos de uma catástrofe nuclear e sobre a insensatez da guerra não pode ficar calado nessa situação. Diga ao mundo sua posição!

Atenciosamente da Ucrânia,

Alina Mitrofanova



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS