Como Ajudar
Especial U2

Caroline une folk e rock psicodélico em álbum de estreia

Redação 89

Caroline une folk e rock psicodélico em álbum de estreia imagem divulgação

A banda britânica Caroline lançou neste fim de semana seu álbum de estreia homônimo. Recentemente, a banda também revelou a versão de estúdio de “Dark blue”, síntese da versão apresentada ao mundo em março de 2020, primeiro single do grupo. “Dark blue” segue os singles anteriores “Good morning (red)” e “IWR”.

“Dark blue” abre o álbum, e foi escrito no dia em que Casper Hughes, Jasper Llewellyn e Mike O’Malley começaram a tocar juntos há meia década. Llewellyn e Hughes se conheceram na universidade em Manchester e, ao se mudar para Londres, convidou o velho amigo de Llewellyn, Mike O’Malley, para formar um grupo, ensaiando na sala de cima de um pub do sul de Londres. No entanto, enquanto eles continuavam tocando aquele riff hipnótico e psicodélico de “Dark blue”, ficou claro que algo totalmente mais profundo estava emergindo. “Assim que ‘Dark blue’ se tornou mais estruturado, pensamos que um violino seria bom”, diz O’Malley. Para isso, eles recrutaram Oliver Hamilton, que também teve uma temporada no baixo em seus primeiros dias.

À medida que o som da banda continuava se expandindo, também crescia sua formação, eventualmente se tornando uma peça de oito peças completada pelo trompetista e baixista Freddy Wordsworth, outra violinista Magdalena McLean, o percussionista Hugh Aynsley e o flautista, clarinete e saxofonista Alex McKenzie. No momento em que o elenco se estabeleceu no final de 2019, as músicas também eram peças expansivas e emocionantes, sua rica paleta baseada em uma mistura de canto coral, emo e as raízes do folk dos Apalaches.

Seu debut foi mixado por John ‘Spud’ Murphy (black midi, Lankum). as músicas podem cair em cascata como uma avalanche com a força total de todos aqueles instrumentos, estrondeando à beira de um colapso total. Em outras ocasiões, eles escorregam de volta para momentos impossivelmente frágeis de silêncio – uma linha de baixo simples ou um chocalho são os únicos sons em meio a um mar escuro de silêncio. Caroline sabe exatamente o equilíbrio certo entre contenção e liberação. “Às vezes, as coisas soam muito melhor quando há espaço vazio”, diz Llewellyn. “Às vezes, você pode preencher [uma música] com muitas coisas e esquecer que um elemento por si só é suficiente.”

Ouça o álbum na íntegra AQUI e curta o clipe de “Dark blue” no player abaixo:



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS