Como Ajudar
Especial U2

Comunidade do rock se manifesta sobre conflito na Ucrânia

Redação 89

Comunidade do rock se manifesta sobre conflito na Ucrânia Imagem: Instagram Marcelo Bonfá

Os mísseis russos lançados contra Kiev, capital da Ucrânia, na madrugada desta quinta-feira (24) deram início a mais um trágico capítulo na história da humanidade. As batalhas em curso nas regiões sul e leste do território ucraniano geraram um caos total no país. “O mundo está conosco”, tuitou o presidente Volodymyr Zelenski, pedindo ajuda contra a investida russa.

De imediato, figuras do mundo da música se manifestaram nas redes sociais pedindo paz e compartilhando suas reações sobre o conflito. Aqui no Brasil, Marcelo Bonfá, da Legião Urbana, publicou um post em suas redes com uma arte com a mensagem “Diga Não À Guerra Na Ucrânia” (imagem que ilustra esta nota). Ele complementou na legenda dizendo que o mundo é um só e os direitos humanos devem reger nossa convivência pacífica. Já Sérgio Brito, dos Titãs, postou uma foto do conflito e comentou: “Triste acordar com mais uma notícia dessas…”.

Ao redor do mundo os músicos também se manifestam de forma intensa. O Garbage publicou no Twitter que está torcendo para que tudo se acalme pacificamente. “Que o filho de ninguém (de ambos os lados) perca a vida”, escreveu a banda.

“Estou devastado ao ver o que está acontecendo na Ucrânia agora. Minhas orações estão com você”, disse Youngblud em suas redes sociais.

Annie Lennox, vocalista do Eurythmics, refletiu que teve o privilégio de viver em um contexto pacífico desde que nasceu, uma década depois do fim da Segunda Guerra Mundial. “Não tomo isso como garantia de forma alguma e, portanto, acho a noção de guerra uma barbárie repugnante e inaceitável”, escreveu no Instagram.

Em um longo post, o vocalista de Franz Ferdinand, Alex Kapranos, escreveu: “Meu coração vai para o povo da Ucrânia e eu condeno inequivocamente a invasão pelo Estado russo. Tive a sorte de passar um tempo nas belas cidades de Kyiv e Odessa quando toquei lá com nossa banda. As pessoas que conheci eram calorosas e minhas boas memórias agora estão tingidas de tristeza indescritível quando vejo o que está acontecendo”.

Yannis Philippakis, vocalista do Foals, escreveu no Twitter: “coragem a todos os nossos amigos na Ucrânia”.

O conflito criou um clima muito ruim no cenário do entretenimento europeu. O Eurovision Song Contest, a competição entre músicos mais importante da Europa, anunciou que apesar do início do conflito, não tem a intenção de proibir a Rússia de competir. Os organizadores reiteraram o status da competição anual como um “evento cultural não político”, em meio aos ataques contínuos da Rússia ao território ucraniano.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS