Mais um dark pop na área: ex-The Voice Júlia Rezende lança novo clipe

Redação 89

Mais um dark pop na área: ex-The Voice Júlia Rezende lança novo clipe imagem divulgação

Com participação marcante na décima temporada do The Voice Brasil até as quartas de final, Júlia Rezende lança seu primeiro single autoral após o programa neste dia 28 de janeiro em todos os aplicativos de música. Lista VIP chega com uma atuação de peso da artista, que encena uma criminosa e fugitiva no clipe dirigido pela produtora Az Brunas, com narrativa cheia de mistério e investigação que será lançada no dia 1º de fevereiro.

“Geralmente em fim de relacionamento, ou a pessoa fica sofrendo ou fica fingindo que superou. Mas a verdade é que naquele primeiro momento, ninguém quer ficar mal sozinho. A ideia do clipe foi contar essa história de uma maneira bem diferente”, conta Júlia, que atualmente é agenciada pela Atemporal Records, gravadora paulistana que oferece soluções 360º no mercado musical. Com uma melodia que flerta com o dark pop, a nova música traz elementos do rock, além da presença de metais e guitarras distorcidas. Composta em parceria com os artistas Sabrina Lopes, Jéf Souza e Lucas Nage, a letra fala sobre um término recente e ressentido, com trecho que diz: “Vai ser foda ser meu ex / Não vai ser tão fácil assim / Eu vou tá na lista VIP pra te ver sofrer por mim”.

Com looks na cor laranja que marcaram sua participação no The Voice, Júlia segue a estética visual também neste lançamento. Até o vestido laranja que usaria no final do programa fez parte do figurino do clipe, que foi gravado, dirigido e roteirizado apenas por mulheres. “Desde a primeira vez que ouvimos a música, a gente pensou que seria perfeito ter uma narrativa de uma mulher criminosa. E o roteiro veio muito de acordo com a letra e com a batida da música, fomos construindo essa temática juntas”, conta a produtora Bruna Torralba, da produtora Az Brunas.

SOBRE JÚLIA REZENDE 

Com personalidade forte e atitude de quem sabe o que quer, Júlia Rezende esbanja sensualidade e talento. A artista já investe em sua carreira autoral desde 2020, com os primeiros projetos solo Outro Patamar e Livre Leve Louca, ambos produzidos pela Seta Reta Music. Com voz marcante, Júlia Rezende foi para as quartas de final da décima temporada do The Voice Brasil, participando do time de Michel Teló.

A cantora e compositora cresceu influenciada por grandes referências da música, começando a cantar aos 9 anos de idade na sua cidade, Ipameri, no interior de Goiás. Aos 17, integrou o grupo Ravena ao lado de Jack Oliveira e Lais Bianchessi. O grupo, que lançou o EP autoral Maravilhosa pelo Midas Music, também dividiu palco com Melanie C, das Spice Girls, durante uma participação no programa Altas Horas, da Rede Globo.

Para o novo momento da carreira, Júlia mergulha no universo pop com pitadas de pop rock. “Busco sempre ser pessoal e transparente nas minhas composições para as pessoas se identificarem com a minha verdade. Quero criar esse diálogo a partir da minha própria experiência de vida”, conta a artista, que planeja os próximos lançamentos para o início de 2022.



COMPARTILHE