Estudo diz que pandemia aumentou interesse das pessoas pela guitarra

Redação 89

Estudo diz que pandemia aumentou interesse das pessoas pela guitarra imagem divulgação

Enquanto muitas pessoas se esforçavam para encontrar novos hobbies no início da pandemia de covid-19, cerca de 16 milhões de americanos passaram a tocar guitarra, de acordo com um novo estudo apresentado pela Fender.

Os dados referentes a maio e junho de 2021, publicados pelo Business Insider, indicam que a maioria dos novos guitarristas é formada por mulheres. Além disso, dois terços dos novos amantes da guitarra têm entre 13 e 34 anos.

Das mais de 10 mil pessoas entrevistadas, 72% delas afirmaram que a pandemia foi um “fator importante para o início de seu interesse pela guitarra”. Além disso, 7 em cada 10 americanos relataram que tiveram mais tempo livre para se dedicar ao instrumento.

“A população de iniciantes é de cerca de 7% da população total. Mas cerca de 72 milhões de pessoas estão tocando guitarra neste momento”, disse Andy Mooney, CEO da Fender, que acrescentou que 90% dos iniciantes identificados antes da pandemia estavam se afastando do instrumento, uma tendência que começou a mudar durante a pandemia.

“O que realmente aprendemos com a pandemia é que, agora que as pessoas têm mais tempo para investir em si mesmas, e que aprender música, guitarra em particular, é um investimento fundamentalmente bom de seu tempo no autodesenvolvimento, relaxamento ou saúde mental”, disse o executivo.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS