Projeto internacional de NFT colabora com preservação da onça-pintada

Redação 89

Projeto internacional de NFT colabora com preservação da onça-pintada imagem divulgação

O apoio a projetos de reintrodução na natureza de animais ameaçados de extinção e a oferta de condições adequadas para aqueles que precisam viver em cativeiro é a marca registrada da AMPARA Silvestre, OSCIP (Organização da sociedade civil de interesse público) que há seis anos desenvolve ações visando o equilíbrio da biodiversidade. Esse trabalho receberá em breve uma ajuda que vem do mercado de criptoativos. A Organização fechou uma parceria com o Yoshie Lab Design para a criação do projeto PowerJags, uma coleção de 10.000 NFTs (tokens não fungíveis) inspirados no poder da onça-pintada. Artes digitais retratando a onça de forma estilosa e empoderada serão oferecidas na plataforma OpenSea.io com 40% dos lucros direcionados para os programas da AMPARA Silvestre.

“Utilizamos os poderes da onça, como a capacidade de enxergar no escuro ou correr a mais de 80 km/h em cada uma das artes dessa coleção”, explica Marina Yoshie, diretora do Yoshie Lab Design. A soltura de Ousado, a onça-pintada que se tornou símbolo dos animais queimados no Pantanal, é uma das grandes inspirações do projeto. “A notícia sobre o retorno de Ousado à natureza correu o mundo emocionando muita gente, então, decidimos criar uma ‘soltura digital’ dos NTFs em seu lançamento, como uma forma de destacar a importância dos projetos de reintrodução dos animais em seu habitat natural”, revela Marina.

Marcele Becker, vice-presidente da AMPARA Silvestre, explica que para que os animais afetados pela devastação sejam reintroduzidos adequadamente à natureza, é necessário um trabalho de urgência em seu resgate. “No caso do Ousado, ele foi resgatado e rapidamente recebeu cuidados médicos para se recuperar em um curto período. Se ele ficasse mais tempo em cativeiro, seria muito difícil devolvê-lo”, comentou. Além dos animais do Pantanal que a AMPARA Silvestre ajuda a reintroduzir na natureza, a organização mantém um recinto no interior de São Paulo onde vivem espécies como a onça pintada, a preta e a parda. “O ideal é sempre fazer a reintrodução, mas animais que ficaram muito tempo longe da natureza ou foram resgatados ainda filhotes não têm condições de voltar. Eles precisam ser muito bem cuidados”, ressaltou. Com o crescente número de queimadas no Brasil e a dificuldade de reintroduzir os animais ao seu habitat, o número de onças em cativeiro vem aumentando. Portanto, é fundamental que entidades como a AMPARA Silvestre encontrem formas de receber fundos para ajudar a custear o bem-estar dos animais resgatados.

O objetivo do projeto PowerJags, segundo Marina, é encontrar no mercado cripto entusiastas que passem a contribuir para a preservação da onça-pintada, levantando recursos ou gerando engajamento para a causa. “Os NFTs estão mostrando que são capazes de amplificar dentro do universo digital todo tipo de negócio. Portanto, acreditamos que a proposta de arte ligada à preservação da onça-pintada tenha uma grande eficácia em sua execução no mercado”, analisa.

Saiba mais sobre a preservação da onça-pintada acessando o site da AMPARA.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS