“Veganismo está em ascensão entre os amantes do heavy metal”, diz Derrick Green, do Sepultura

Redação 89

“Veganismo está em ascensão entre os amantes do heavy metal”, diz Derrick Green, do Sepultura Imagem: Wikimedia Commons

Derrick Green, vocalista do Sepultura, abordou no podcast Interview Under Fire sua opção de deixar de comer carne quando tinha apenas 15 anos. Recentemente, ele se tornou vegano, ou seja, não consome qualquer produto de origem animal. Questionado se o veganismo está ganhando força na comunidade do heavy metal , respondeu que acha incrível como essa onda realmente pegou.

“Notei em festivais e shows que passaram a atender no bufê mais as pessoas que possuem uma dieta a base de plantas. Hoje há pratos mais saborosos, mais saudáveis. E estão realmente fazendo a pesquisa e a lição de casa, tentando oferecer pratos interessantes, não apenas as coisas simples do passado. Então, muitas vezes eu notei [no bufê] que tem carne, mas tem também a seção vegana”.

O cantor revelou que o próprio Sepultura mudou muitas coisas: “Os caras da minha banda não são veganos, mas eles gostam de ser saudáveis e gostam de comer bem. São muito mais conscientes sobre isso… sobre estar no palco com o estômago cheio e coisas assim. Então, com uma dieta à base de plantas, é mais fácil, você vai se sentir mais leve”.

Derrick comentou que no meio musical as pessoas estão cada vez mais levando o show ao vivo a sério porque precisam ter energia, então, uma dieta vegana é o ideal. “Precisam fazer o melhor show possível, querem se sentir bem… porque os fãs vão apreciar isso e seu corpo vai apreciar isso, sua banda vai apreciar isso. Estar focado, sério e sóbrio no palco”, ressaltou.

Ele ainda lembrou que atualmente há muitos artistas do metal que estão optando por dietas a base de plantas. “Notei que muitas bandas diferentes estão pedindo por isso. Antes seria apenas uma ou duas pessoas, mas agora há bandas completas que são veganas, bandas de metal. Fizemos uma turnê com o Kreator e o Mille [Petrozza] é um vegano hardcore, ele é incrível. Foi ótimo se relacionar com ele e falar sobre coisas assim. Notei até em navios de cruzeiro – navios de cruzeiro de metal – que havia um bufê inteiro de vegetais e uma fila repleta de pessoas nessa linha, o que foi muito legal de ver”.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS