Kiss deve atravessar gerações como Mickey Mouse e Batman, diz consultor

Redação 89

Kiss deve atravessar gerações como Mickey Mouse e Batman, diz consultor imagem divulgação

Robert V. Conte, um consultor de catálogos que trabalhou com o Kiss por décadas garante que Gene Simmons e Paul Stanley vão vender a marca a um “conglomerado” quando chegar a hora deles se aposentarem.

Em uma recente entrevista ao Vinyl Writer Music (via UCR), ele comentou que o Kiss deverá atravessar gerações. “Posso dizer que o Kiss deve sobreviver àqueles que mantiveram a chama acesa, são personagens icônicos como Mickey Mouse e Batman, não pararam após a aposentadoria e/ou morte de seus criadores. Para o bem ou para o mal, eles evoluíram conforme necessário para se manterem relevantes e interessantes”, comentou.

De acordo com o consultor, casa encarnação do grupo é única à sua maneira. “Enquanto Gene e Paul permanecerem na formação, prefiro que o Kiss continue de alguma forma do que pare completamente. No entanto, não se surpreenda se um dia a marca for vendida para algum grande conglomerado quando esses dois decidirem se aposentar”, declarou.

No mês passado, Stanley foi questionado pela Radio Bob da Alemanha se uma versão 2.0 da banda poderia continuar em turnê e seguir gravando discos. “O Kiss pode continuar e pode evoluir sem nós? Acho que sim, porque já é 50%. Em outras palavras, houve um tempo em que as pessoas diziam: ‘Só pode ser o quarteto original’… As circunstâncias mudam e as coisas seguem em frente”, explicou.

O  músico refletiu sobre como seria ver o Kiss seguindo em frente com novos integrantes: “Por mais que eu seja um grande fã do que faço – e acho que sou muito bom – há outras pessoas por aí que poderiam chegar e trazer algo para a filosofia, para os shows ao vivo ou para a música. Seria o Kiss. Não seria o Kiss 2.0. Se isso acontecesse, sim, seria realmente apenas uma continuação da filosofia que sempre tivemos, e é isso que é o Kiss, maior do que qualquer integrante”.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS