Val Santos lança lyric video de “Allied Forces”, cover do Triumph

Redação 89

Val Santos lança lyric video de “Allied Forces”, cover do Triumph imagem divulgação

Com lançamento de 1986, primeiro disco solo do produtor e guitarrista Val Santos, que chegou ao mundo via Wikimetal Music no último dia 28, o artista estreou uma série de lyric videos que irão dar visuais para as faixas com o single “Warriors Of Metal”. Nesta quinta (24), a sequência continua com o lyric video para “Allied Forces”, cover da banda Triumph que conta com vocais de Leandro Caçoilo, vocalista do VIPER, e o baixo de Nando Machado, cofundador do Wikimetal. A produção do vídeo, por sua vez, fica por conta de Kim Martins.

“Eu sempre quis gravar essa música, lembro com 13 anos assistindo na TV o clipe, e adorar a melodia de voz e o refrão, rock de primeira”, relembra Santos, que confessa que a gravação foi um desafio para ele como um guitarrista que não faz muitos solos, no entanto, procurou honrar o solo original do incrível Rik Emmett, guitarrista e um dos compositores da versão original da faixa. “Cheguei a fazer uma versão dela em 2006 para entrar no álbum All My Life do VIPER, mas não rolou, infelizmente. Mas agora chamei meu amigo Nando Machado para fazer o baixo e simplesmente arrebentou e o Leandro Caçoilo nos vocais que mais uma vez mostra por que é o melhor vocalista de metal no Brasil. Com esses dois gravando não tinha como ficar melhor essa versão. Sonho realizado!”

Val Santos foi buscar inspiração na década de 1980 para seu primeiro álbum solo: 1986 recriando o estilo thrash metal e heavy metal que dominou a década e influenciou roqueiros em todo o mundo. No ano homenageado no título, considerado um período histórico para o estilo, foram lançados clássicos como Master of Puppets (Metallica), Reign in Blood (Slayer) e Peace Sells… But Who’s Buying? (Megadeth), entre outros. A década de 1980 foi também a época em que Val Santos começou a ouvir heavy metal e a conviver e trabalhar com bandas que despontavam no cenário brasileiro, como VIPER, Vodu e Volkana.

Começava ali uma das carreiras mais talentosas e versáteis do heavy metal brasileiro. Depois de fundar a banda Zuris, Val Santos foi baterista do VIPER e o responsável por muitos dos arranjos que podem ser ouvidos no álbum mais clássico da banda, Theatre of Fate. Mais tarde passou a tocar guitarra e formou o Toyshop com o baterista Guilherme Martin e o guitarrista Gabriel Weinberg, banda que ficou popular nos anos 1990 ao combinar o som pesado e influenciado por Ramones com a linha melódica mais pop da vocalista Natacha.

O Toyshop assinou contrato com a gravadora holandesa Roadrunner e lançou o primeiro álbum em 1999. Gravado em Los Angeles com produção de Sylvia Massy (Red Hot Chilli Peppers, Tool), Party Up fez da banda um sucesso do rock alternativo. Além de “Run Away” e “Everybody Crazy”, que fizeram parte da trilha sonora do sucesso de Hollywood “Holiday in the Sun”, em 2001, o single “Daydream” chegou ao primeiro lugar nas paradas de TVs e rádios europeias. O Toyshop fez turnês pelos EUA e Brasil, onde o álbum também ganhou rádios. Com Nando Machado no baixo, a banda se reuniu novamente em 2016 e lançou o álbum Candy pelo selo ForMusic Records, com produção de Mauricio Cersosimo (VIPER, Emicida, Skank).

Como guitarrista, Val Santos voltou ao VIPER em 2007 para a gravação de All My Life. Nesse álbum, também foi o compositor de três músicas, “Cross the Line”, “Dreamer” e “Miracle” e fez shows pelo Brasil e América do Sul. Depois de atuar como produtor dos álbuns solo de Felipe Machado (FMSolo, de 2015, e Primata, com previsão de lançamento ainda para 2021), Val Santos também compôs as canções “I Spit on Your Grave” e “Empire of Demise” para o álbum de 2020 do Vodu, “Waking With Fire”.

1986 já nasce como um clássico do thrash metal brasileiro. Além das grandes composições e excelente produção, o álbum reúne participações especiais de músicos brasileiros que fizeram do país um dos expoentes do estilo pesado no mundo. Mais que uma volta no tempo, o primeiro álbum solo de Val Santos é a prova de que o metal continua atual e poderoso como nunca. Para quem ainda tem dúvidas, basta fazer a prova – feche os olhos e aumente o volume: bem-vindo a 1986. Ouça o disco na íntegra AQUI.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS