Go Ahead And Die, novo projeto de Max Cavalera, lança álbum de estreia

Redação 89

Go Ahead And Die, novo projeto de Max Cavalera, lança álbum de estreia imagem divulgação

Go Ahead And Die é um projeto que nasceu para ser um grande momento entre pai e filho. Max e Igor Amadeus Cavalera acabam de disponibilizar em todas as plataformas digitais o álbum autointitulado do grupo através da gravadora Nuclear Blast Records.

Go Ahead And Die foi idealizado pelo compositor e músico Igor Amadeus Cavalera que compartilha o sangue musical com seu pai – o grande ícone da música extrema e líder do Soulfly, Max Cavalera. A banda ainda conta com o baterista do Zach Coleman, da banda Khemmis, uma das grandes promessas do metal europeu. Os três compartilham também o mesmo pensamento com os problemas sociais de hoje em dia – retratados como riffs monstruosos e cativantes. São cheios de ódio contra um sistema que apenas beneficia os mais poderosos.

A banda lançou o primeiro single ‘Truckload Full Of Bodies’ dirigido por Jim Louvau e Tony Aguilera com uma forte crítica ao vírus da COVID-19.

Max Cavalera comenta: “‘Truckload Full of Bodies’ é um raio-x escuro da pandemia COVID-19. Ele examina como certos políticos em 2020 não se importavam com seus cidadãos. Os hipócritas cuidavam de si mesmos e não se importavam sobre o resto de nós morrendo”.

Com “Toxic Freedom”, segundo single da banda, Max diz “Toxic Freedom” é sobre corrupção policial, brutalidade policial e racismo policial. Isso pode ser visto e sentido em todo o mundo. É sobre autoridade matando minorias”.

Igor Amadeus complementa: “Nossos líderes abusam de seu poder enquanto milhares estão presos e mais são assassinados a cada dia. ‘Toxic Freedom’ é um protesto por aqueles que sofreram nas mãos da brutalidade policial injusta”.

A banda também lançou um terceiro single chamado ‘Roadkill’ em que falam sobre o ponto de vista de pessoas que vivem em situação de rua antes de disponibilizar o petardo de forma mundial.

Os vocais de Max/Igor Amadeus Cavalera não foram acompanhados repetidamente na busca de algum tipo de “tomada perfeita”. Coleman não tocou com algum software de acompanhamento de ritmo. O coração e a alma do Go Ahead And Die é apenas ir em frente, da maneira tradicional. O engenheiro Charles Elliot capturou as sessões de gravação com a ajuda do proprietário do Platinum Underground Studio, o já famoso John Aquilino. O álbum foi mixado por Arthur Rizk e a arte do álbum foi criada por Stewart Easton, enquanto o logotipo em forma de círculo foi criado por Jeff Walker.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS