Soluções de mobilidade compartilhadas destacam-se no combate ao coronavírus

Redação 89

Soluções de mobilidade compartilhadas destacam-se no combate ao coronavírus Imagem: Unsplash

Embora seja muito cedo para determinar o que funcionou e o que não funcionou na mobilização da resposta à pandemia de COVID-19, o site do Fórum Econômico Mundial já elaborou um balanço de vários esforços que novos provedores de mobilidade estão buscando para combater a propagação do vírus. Muitos dos esforços atuais estão focados em aumentar a eficiência, garantir a segurança e tirar o máximo proveito do sistema existente. Cada uma dessas táticas pode aumentar a eficiência do nosso sistema de mobilidade, mesmo após a crise.

Mobilização de socorristas para salvar vidas

Os provedores de serviços de mobilidade (mobility service providers – MSPs), como empresas de transporte e micromobilidade, foram rápidos em ampliar as opções de deslocamento disponíveis para os socorristas. As scooters na China e as frotas de carros alugados e compartilhados tornaram-se as melhores opções de deslocamento disponíveis da equipe de saúde após os desligamentos das cidades. Mais tarde, vimos opções de micromobilidade colocadas no coração da adoção do vírus europeu em resposta ao pedido de apoio das autoridades. Com as mudanças bruscas de oferta e demanda, novos serviços de mobilidade provaram o quão ágil e essencial eles podem ser para lidar com as emergências em rápida mudança.

Reduzindo os custos de mobilidade para garantir acessibilidade para todos

Com os fechamentos em todo o sistema de transporte se tornando cada vez mais difundidos, os MSP estão se tornando a fonte mais confiável de mobilidade para pessoas e mercadorias. Os MSPs enfrentaram o desafio não apenas de aumentar os serviços de entrega de alimentos, mas de reduzir custos e criar parcerias inestimáveis ​​com organizações comunitárias que atendem os mais vulneráveis. As parcerias público-privadas são fundamentais para manter a frota de serviços de mobilidade funcionando da forma mais eficaz possível.

Troca de informações críticas para reduzir as taxas de infecção

Ossinais de uma infecção por coronavírus podem levar duas semanas para se manifestar. Felizmente, motoristas e passageiros de viagens que foram expostas a indivíduos infectados já estão sendo notificados por alguns MSPs e autoridades parceiras, a fim de reduzir as taxas de infecção. Eles estão fazendo isso sem expor dados confidenciais e com total aderência aos regulamentos de dados existentes. O compartilhamento de informações críticas entre autoridades públicas e privadas para aumentar a segurança pública pode ser realizado sem comprometer a privacidade e a competitividade.

Introduzindo tecnologia e políticas para proteger os passageiros e motoristas

A Didi foi a primeira a introduzir requisitos de separação na cabine para proteger seus motoristas, sem privar os que precisam de carona urgente. Mais políticas para garantir a higiene e a segurança dos motoristas e motociclistas logo seguiram os MSPs em todo o mundo, e os serviços permaneceram em operação pelo tempo que as autoridades de saúde determinassem e monitorassem o surto.

Parece que foi ontem que todos, de líderes governamentais a empresários, debateram os prós e contras de novos provedores de serviços de mobilidade. Ainda assim, se aprendemos alguma coisa com a pandemia do COVID-19, é quão essencial esses MSPs dinâmicos e ágeis podem realmente ser, diz o Fórum Econômico Mundial, acreditando num futuro de mobilidade sustentável e resiliente.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS