Promoção - TEMOS VAGAS 2024 | Lollapalooza

A partir de comentários de fãs, Florence Welch cria “poema coletivo da reclusão social”

Redação 89

A partir de comentários de fãs, Florence Welch cria “poema coletivo da reclusão social” Imagem divulgação

Mais um belo capítulo para este período de quarentena que todos nós enfrentamos devido ao novo coronavírus foi escrito pela cantora Florence Welch, vocalista do Florence + The Machine.

Bem, na verdade não foi apenas Florence quem escreveu este capítulo. Ela e seus seguidores no Instagram escreveram de forma coletiva um poema.

No último domingo (15), a cantora pediu para que seus seguidores se unissem “de uma maneira diferente” durante esse tempo de reclusão social escrevendo uma linha que gostaria que fosse adicionada a um poema.

Com o poema coletivo finalizado, nesta quinta-feira (19) Florence publicou um vídeo com o resultado. Confira:

Abaixo você tem a tradução do poema, feito pelo site Papel Pop:

“Sozinho, ainda assim,
fios separados se tecendo como um só,
estou preocupado com o que o futuro trará para minha mãe,
acendi um fósforo para você.
Na calma do meu quarto, os
rituais retornam às placas de fogão e os altares chegam em nossas barrigas.

E esperarei três dias, 20 anos,
ou até uma idade para um momento mais brilhante,
Apaixonando-me,
como nunca antes,
Em lados opostos de uma porta trancada,
E um dia olhando para trás,
encontrarei uma razão para te abraçar mais forte.

Lembro-me das mãos tocando o violino enquanto saía da igreja.
Todas as pétalas são amadas,
as crianças reunidas olhando.

Às vezes eu esqueço o sol,
mas lá está novamente, a
primavera está saindo da minha boca,
estou gostando de me sentir pequena e perecível.
Então, tornando-se o céu,
eu me deixei cair.

E então tudo começou.
Essa sonolência é assustadora.
Os dias estão borrados,
beijo suas costelas porque quero sentir o jeito que você respira,
mantenho o menor graveto enfiado na porta.

O Deus em mim começa a orar e sabe que nós cantamos coros das nossas varandas,
dar-nos alguma empresa,
escondendo o fantasma em nossa cidade,
uma enorme sensação de contradição.
Ficar longe do que eu amo por amor,
eu estava esperando os pássaros me dizerem que acabou, com
medo de uma criança febril, amarrada à cama.

Olhar apenas para a graça de sua mãe, minha filha, o trabalhador de saúde,
que vem com um pano para a sua cabeça,
um astronauta esquecido há muito tempo capturado na atmosfera,
e à medida que gira sem rumo,
E agora sozinho no escuro,
Ele lembra como respirar,
como fechar os olhos,
como simplesmente ser.

Talvez isso eu permita, descansar, amar, respirar, fazer beleza na loucura,
música em silêncio, escrever cartas, pedir desculpas, sentir nossos corpos, sentir compaixão.
Talvez essa seja uma lição das verdades mais profundas e dos prazeres mais simples.
Seremos mais uma vez solicitados a ficarmos parados para salvar vidas?

O início da primavera derrete o chão o suficiente para torná-lo gentil para as meninas que correm descalças pelos bosques,
folhas de palmeira brilhando no céu,
um furacão de medo,
e apesar de tudo, ainda estamos aqui,
só agora entendemos os perigos de nossa pais.

Em algum lugar fora disso, mas
aqui está,
agora é a nossa vez de cuidar de você”



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS