Tinder: o amor tem preço, custa 30 dólares por mês

Redação 89

Tinder: o amor tem preço, custa 30 dólares por mês imagem divulgação

Boa aparência e bom papo ajudam a se dar bem no Tinder, multiplataforma de localização de pessoas para encontros românticos online.

Mas segundo apurou reportagem do The New York Times, estar com a beleza e a lábia em dia não fazem muita diferença se você tem dinheiro.

O Tinder anunciou na terça-feira (06) ter ultrapassado a marca de cinco milhões de usuários pagos nas versões Plus e Gold. No Plus, a pessoa ganha mais visibilidade em seu perfil, enquanto no Gold, além das vantagens de aparecer mais na plataforma, recebe a lista de quem curtiu seu perfil, garantindo match.

Mas só tem esse diferencial na busca pelas conquistas quem paga uma média de US$ 30 mensais, dependendo de fatores como local e idade.

“A estrutura dessas compras no aplicativo é muito semelhante ao que acontece com os apps de jogos, pois pagando você passa a ter habilidades especiais entre os demais usuários”, disse Randy Nelson, chefe de informações móveis da Sensor Tower.

Veja mais dados sobre o crescimento do Tinder na íntegra da reportagem (em inglês) no site do The New York Times.



COMPARTILHE