Dead Kennedys: ilustrador diz que banda autorizou arte sobre shows, mas ficou assustada com repercussão

Redação 89

Dead Kennedys: ilustrador diz que banda autorizou arte sobre shows, mas ficou assustada com repercussão Imagem Original: Cristiano Suarez

A arte sobre os shows que a banda Dead Kennedys vai fazer no Brasil no mês que vem, publicada na tarde desta segunda-feira (22) pelo Facebook da EV7 Live, resultou numa grande polêmica. O desenho, assinado por Cristiano Suarez, mostra uma família vestida com camisas que lembram a seleção brasileira de futebol e maquiagem de palhaço num verdadeiro campo de guerra. Um dos personagens diz na ilustração: “amo o cheiro de pobre morto pela manhã!”. Rapidamente a publicação viralizou na internet e ganhou grandes proporções, muito por conta do debate político que ela gerou. No início da noite o Dead Kennedys se posicionou sobre o post dizendo que ele havia sido publicado para promover os shows sem o conhecimento do grupo.

A 89 conversou no início da tarde desta terça-feira (23) com Cristiano Suarez. Numa entrevista para a apresentadora Luka Salomão, o ilustrador revelou que foi convidado pela produtora para fazer a arte, muito por conta de ser fã do Dead Kennedys. Suarez deixou claro que em seu trabalho há a necessidade de respeitar direitos autorais, portanto, o grupo americano deu a autorização para que a arte fosse publicada, mas acabou se assustando com a dimensão que ela tomou.

A ideia do desenho, segundo Suarez, era atingir a legião de fãs que o Dead Kennedys tem no Brasil. Ele utilizou como referência músicas como “Rambozo The Clow”, que ironiza o Bozo e o Rambo, e “Kill The Poor”, que aborda a questão da favela pegando fogo. No entanto, mesmo sabendo que o desenho poderia ser associado com o governo brasileiro, não imaginou que teria poder de gerar tamanha discussão.

Utilize o player abaixo e confira a entrevista na íntegra:



NOTÍCIAS RELACIONADAS


COMPARTILHE