The Cure e The Killers são atrações de Glastonbury que retorna pregando sustentabilidade

Redação 89

The Cure e The Killers são atrações de Glastonbury que retorna pregando sustentabilidade imagens divulgação

Um dos maiores e mais tradicionais festivais de música do mundo está de volta este ano, depois de ficar 2018 de “molho” para uma melhor reestruturação. E Glastonbury retorna com o maior gás, tendo The Cure e The Killers como suas principais atrações. A organização do evento, marcado para rolar de 26 a 30 de junho, nos arredores de Pilton, na Inglaterra, anunciou ainda nomes como Stormzy, Interpol, Liam Gallagher, Johnny Marr, Tame Impala e Vampire Weekend.

Ainda não foi divulgado o line-up dividido por dias e as programações dos palcos de Glastonburry, que teve todos os seus ingressos disponibilizados para vendas, até aqui, esgotados.

Sustentabilidade e 50 anos de Glastonburry

Glastonbury estará mais verde este ano, a sua organização implementou a proibição de garrafas de plástico em todas as suas dependências. “Trata-se de um projeto enorme. Estamos tendo um trabalho muito grande para explicar a questão para todos os nossos fornecedores e parceiros”, disse a organizadora Emily Eavis à BBC 6 Music.

A medida deverá ter um impacto ambiental pra lá de significativo já que um milhão de garrafas são usadas em cada evento. Em 2014, o festival introduziu garrafas de aço inoxidável que podiam ser enchidas sem nenhum custo em quiosques de água potável. Já em 2016 os organizadores implementaram a iniciativa “Ame a fazenda … deixe-a sem pegadas”, pedindo que o público utilizasse o transporte compartilhado e limitasse sua produção de lixo.

No entanto, mesmo medidas pontuais adotadas para que as pessoas curtissem Glastonbury de forma mais sustentável, a organização não conseguiu diminuir sua produção de lixo. Por conta disso, a edição 2019 deverá ser fortemente impactada por uma campanha de respeito ao meio ambiente.

Como o festival ocorre numa área rural de Pilton, no ano passado ele não foi realizado para que a região conseguisse se recuperar da degradação que sofre durante os dias de apresentações. Essa é também uma manobra para preparar o evento para 2020, ano que será comemorado os 50 anos de Glastonburry. Para essa edição emblemática a imprensa britânica especula há cerca de dois anos uma festa gigantesca com possibilidade de reunir uma banda emblemática, como Pink Floyd, Led Zeppelin ou, pelo menos, Oasis.



NOTÍCIAS RELACIONADAS


COMPARTILHE