O Air Traffic em busca de sua melhor Rota

Redação 89

O Air Traffic em busca de sua melhor Rota imagem divulgação

Talvez você nunca tenha ouvido falar em Air Traffic, banda inglesa formada em 2003 por quatro garotos da cidade de Bornemouth que ensaiavam perto do “Hurn Airport” e sempre eram importunados pela transmissão do tráfego aéreo da região. Sim, por isso eles adotaram esse nome.

Em lugares como a Inglaterra até hoje bandas surgem e acham seu espaço, e não foi diferente com o Air Traffic, em três anos estavam tocando na BBC 1 Radio, e em outras rádios inglesas, sendo comparados ao Supergrass pareciam que se tornariam os novos queridinhos do Britsh Pop e voariam para fora dos limites do Reino Unido! Estava tudo encaminhado para isso com o sucesso do lançamento de seu primeiro single “Shooting Star”.

Em 2007 veio o lançamento do primeiro disco, “Fracture Life”, onde se destacam sons como “Abuse Me No More”, “Running Away”, “Charlotte”. O Air Traffic, estava se consolidando entre os fãs, era uma realidade entre a crítica, tinha achado sua rota.

O quarteto Chris Wall, David Ryan Jordan Tom Pritchar e Jim Maddock estavam em voo de cruzeiro. Acontece que em 2010 o baixista David Ryan saiu da banda, o Air Traffic sai da rota estabilizada, e logo em seguida a banda anunciou um hiato.

Pois cada um tinham interesses artísticos diferentes, ou seja, brigaram e a banda faz um pouso forçado!

Sete anos, longos sete anos os quatro  ficaram separados! No início desse ano reativaram sua página no Facebook, e anunciaram um retorno para comemorar o décimo aniversário de seu primeiro e único álbum “Fractured Life”.

E assim o Air Traffic levanta novamente voo e tenta reencontrar uma rota! Parecem que estão indo bem lançaram no último dia 05 de outubro um single muito interessante chamado, “Almost Human”.

Os caras estão em turnê pelo Reino Unido com datas já esgotadas pelo menos até abril do ano que vem.

Assim Air Traffic segue em busca de sua melhor rota que agora seja um voo mais longo!

Ouça o novo single “Almost Human”:

Por- Leandro Alsaro.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS