Pixies tocará no Brasil em 2017, diz baterista da banda

Redação 89

Pixies tocará no Brasil em 2017,  diz baterista da banda imagem divulgação

A 89 bateu um papo com David Lovering, baterista da banda Pixies.

David falou sobre a gravação do álbum “Head Carrier”, disse que foi fantástico, porque essa foi a primeira vez que os caras puderam se preparar de verdade na pré-produção, tiveram sete semanas para compor.

O baterista  ainda revelou qual é a sua música favorita do álbum, o significado do nome do disco e os  detalhes sobre a  entrada da nova baixista Paz Lenchantin.

Sobre shows e turnês,  David  disse que depois da excursão pela Europa, irão fazer uma pausa, que será lá para dezembro e depois planejam América do Sul.

O músico também falou que gostaria de fazer uma turnê só com as  músicas do álbum Surfer Rosa, que está perto de seus 30 anos.

Acesse o player abaixo e curta a entrevista:

Veja abaixo a transcrição completa da entrevista:

89: Como foi o processo de criação e gravação do Head Carrier, o novo álbum do Pixies?
David Lovering: Foi fantástico porque essa foi a primeira vez que pudemos nos preparar de verdade na pré-produção: tivemos sete semanas para compor e ensaiar. Comparado a Indie Cindy ou outro álbum mais antigo, foi uma alegria poder trabalhar nas músicas antes de ir para o estúdio, poder chegar confiante lá e só tocar.

89: Quais as diferenças, musicalmente falando, de Head Carrier e os outros álbuns do Pixies?
David Lovering: É difícil dizer, todos os álbuns são diferentes entre si. Se comparado à Indie Cindy, este é um pouco mais rock, o que lembra um pouco o Pixies antigo com elementos punks.

89: Porquê o nome Head Carrier?

David Lovering: Há uma música no álbum chamada “Head Carrier”, que significa “cephalophore”, um termo grego para algo religioso, um santo que carrega a própria cabeça. A ideia inicial era que o nome do álbum fosse “Cephalophore”, mas achamos que as pessoas não iam entender o significado.

89: Você tem alguma música favorita neste álbum?
David Lovering: A minha favorita é “All I Think About Now”, o que é engraçado porque ela não foi planejada para entrar no álbum, foi nos últimos dois dias de gravação quando Paz Lenchantin, nossa baixista, teve a ideia para música e todos nós gostamos, ela disse para nós tocarmos e ela faria a letra. É a música mais “Pixies”: a guitarra de Joey, que é suave e depois forte, lembra muito o começo dos pixies.

89: Você ainda mantém contao com a Kim Deal?
David Lovering: Quando ela nos deixou foi um choque, desejamos boa sorte porque não tinha chance de convencermos ela, era o que ela queria fazer. Não temos nos falado muito, sei que está produzindo um álbum novo do The Breeders, e desejamos tudo de bom para ela.

89: E como está sendo trabalhar com a Paz Lenchantin?

David Lovering: Ela têm sido uma alegria, uma pessoa maravilhosa e uma baixista incrível, o público adora ela, somos muito sortudos. E em três anos, com tantos homens na banda, nós temos nos dado muito bem. Ela toca baixo tão bem que eu mesmo preciso tocar bateria melhor para não ficar constrangido (risos).

89: E o que pode nos contar sobre a atual e nova turnê?
David Lovering: Os shows são sempre diferentes. Nossa próxima turnê começa em setembro. Tocaremos pela Europa e terá mais músicas do Head Carrier. Algumas semanas atrás tocamos quatro músicas deste álbum em um festival, mas também tocaremos os clássicos. Isso muda toda noite, fazemos um set diferente sempre. São noventa minutos sem parar, sem falar com o público, apenas entregando música. Será o mesmo show do Pixies que todos já viram.

89: Vocês pretendem vir para a América do Sul, especialmente o
Brasil?

David Lovering: Depois que fizermos turnê pela Europa, faremos uma pausa, que será lá para dezembro e depois planejamos América do Sul, Austrália, Nova Zelândia, América do Norte…tudo em 2017.

89: O quê você lembra do Brasil?

David Lovering: Lembro especialmente da comida! (risos) Uma vez também fomos ao estádio de futebol e foi uma alegria. Mas sempre lembro da comida e dos fãs. A América do Sul é um de nossos lugares preferidos, somos muito sortudos.

89: Vocês pretendem fazer algo especial para os 30 anos do Pixies que ocorre em 2016?
David Lovering: Fiquei chocado quando vi que fazem 30 anos. Não temos nada planejado, mas o que eu gostaria é de fazer uma turnê só com as músicas do álbum Surfer Rosa, que se eu não me engano está perto de seus 30 anos também. Portanto eu vou insistir para isso, mas não posso falar que temos algo planejado ainda.

89: Você considera o Pixies uma das melhores bandas de rock da história?

David Lovering: Nós somos muito sortudos, são 30 anos de banda e ainda estamos fazendo shows e as pessoas querem ver a gente. Eu acho que somos bons o suficiente para as pessoas quererem ver a gente. Eu não diria que somos os melhores, mas bons a ponto de quererem ir ao nosso show.

89: E sobre as bandas novas, tem alguma que você gosta?

David Lovering: Eu não consigo dizer o nome específico de uma, mas ouvi Royal Blood há uns dois meses, acho difícil lembrar o nome de outras bandas.

89: O Head Carrier vai ser lançado em um vinil rosa para ajudar pacientes de câncer. O que você acha disso?

David Lovering: Essa é uma coisa diferente que estamos fazendo, o vinil rosa e o vinil normal também será lançado. É algo diferente e será maravilhoso fazer isso.



COMPARTILHE


NOTÍCIAS RELACIONADAS