Peça que recorda repressão da ditadura é destaque na “Virada Cultural”

Willian Maier

Peça que recorda repressão da ditadura é destaque na “Virada Cultural” imagem divulgação

Em ritmo de musical, a produção “Walmor y Cacilda 64: Robogolpe” terá a temporada prorrogada até 29 de junho no Teatro Oficina e neste final de semana fará parte da programação da “Virada Cultural”.

Portanto, a sessão do dia 17 de maio integrará o evento da prefeitura de São Paulo com ingressos gratuitos, com distribuição na bilheteria do Teatro Oficial a partir das 20h, uma hora antes do início.

O espetáculo recorda a repressão da ditadura sobre os teatros paulistanos em 1964, momento no qual Cacilda Becker e Walmor Chagas trabalham em uma peça, enquanto colegas são presos e atores são intimados pela polícia.

Para contar essa crônica, escrita pelo diretor Zé Celso, nada menos que um elenco composto por 20 atores da Cia Oficina Uzyna Uzona e da Universidade Antropófaga, acompanhados por seis músicos e um DJ da Banda Oficina.

A peça faz o público refletir sobre uma relação de 50 anos com o imaginário da Ditadura Militar e seus efeitos para a arte no Brasil.

A direção musical de “Walmor y Cacilda 64: Robogolpe” é assinada por Adriano Salhab, Montorfano e Giuliano Ferrari.

No elenco, Camila Mota, Marcelo Drummond, Sylvia Prado, Liz Reis, Fred Steffen, Letícia Coura, Juliane Elting, Acauã Sol, Glauber Amaral, Roderick Himeros, entre outros.

Serviço:
“Walmor y Cacilda 64: Robogolpe”
Sábados (21h) e domingos (19h) até 29/07
Teatro Oficina, Rua Jaceguai, 520, Bela Vista, São Paulo, SP.
Mais informações: teatroficina.uol.com.br



COMPARTILHE