Backstage 89 – O “Cálice Sagrado” de Hendrix

Willian Maier

Backstage 89 – O “Cálice Sagrado” de Hendrix imagem divulgação

Por Claudio Dirani

A vida de Jimi Hendrix foi breve. A carreira? Mais curta ainda, se você colocar na balança nomes como Aerosmith e Rolling Stones, que não têm data para expirar.

Este trágico fim do guitarrista mais inventivo da história do Rock, Blues e Soul não impediu que ele deixasse uma herança musical rica. E que ainda tem muitos segredos a serem explorados.

No próximo dia 29 (dois dias após a data que marcaria o aniversário de 71 anos), por exemplo, o selo familiar Experience Hendrix coloca nas ruas mais um produto: o álbum ao vivo “Miami Pop Festival”, registrado em 1968. Neste mesmo mês, os fãs já ganharam de presente antecipado de Natal o DVD/Blu-Ray “Hear My Train A Comin’” – documentário que inclui 13 performances ao vivo inéditas do filho de Seattle.

Tantos lançamentos não significam o fim da linha para os colecionadores. O fundo do baú – vale o aviso – ainda está bem longe de chegar quando o tema é Jimi Hendrix.

Segredos

Em um passado não tão distante, a Experience Hendrix prometeu dar as luz ao mais almejado tesouro (que se tem notícia) de Jimi Hendrix: a mítica fita batizada pelo mesmo de “Black Gold”. O tape, registrado poucos dias antes de sua morte e entregue ao parceiro Mitch Mitchell, continha 16 faixas, esquecidas por anos no porão do baterista. Desde então – após Mitchell revelar, em 1992, o conteúdo da “caixa secreta” a um fã sortudo, que ouviu tudo – apenas uma dessas demos criadas por Hendrix em seu apartamento no Greenwich Village foi revelada: “Suddenly November Morning”, incluída na antologia de 4 discos e 1 DVD: “West Coast Seattle Boy” (2010).

url

“Quilômetros” de fitas

Em 1974, o antigo empresário (e odiado por fãs), Alan Douglas, avisou o mundo que existiam pelo menos 675 rolos de fitas contendo faixas inéditas, versões alternativas e performances ao vivo nos arquivos de Jimi. Em entrevista à Rolling Stone, Douglas menciona “Black Gold” com detalhes: “Em Black Gold, Jimi conta sua história de vida como se fosse um herói espacial, como Buck Rogers, em uma suíte que dura 8 minutos.” De fato, “Black Gold”, segundo o próprio Hendrix disse em 1970, seria como tema de um desenho animado: “É sobre um gato bem divertido que se mete em histórias estranhas… [-]Ai você leva isso para a música, como se faz com o blues.”

À parte da seleção de músicas (veja tracklisting abaixo) e de poucas faixas (em versões diferentes) que sairiam em outras mídias no decorrer do ano (“Drifiting”, “Stepping Stone”, “Astro Man” e “Machine Gun”) os colecionadores de plantão aguardam com ansiedade pelo complemento do “álbum que nunca foi”.

Black Gold

“Suddenly November Morning”
“Drifting”
“Captain Midnight”
“Local Comotion”
“Here Comes Black Gold”
“Stepping Stone”
“Little Red Velvet Room”
“The Jungle is Waiting”
“Send My Love to Joan of Arc”
“God Bless This Day”
“Black Gold”
“Machine Gun”
“Here Comes Black Gold”
“Astro Man (Parts 1 & 2)”
“I’ve Got a Place to Go”



COMPARTILHE