Thais Yamamoto

POWERFLO: supergrupo com membros do Cypress Hill e Biohazard

Eram quase onze da noite quando cheguei no West L.A Studio. Fui assistir o primeiro ensaio oficial do Powerflo. Talvez esse nome ainda não soe familiar para você, mas com certeza os membros dessa banda são. O Powerflo é um supergrupo formado por Sendog (Cypress Hill), Billy Graziadei (Biohazard), Roy Lozano (Downset), Christian Oldewolbers (Ex-Fear Factor) e pelo brasileiro Fernando Schaefer (Worst).

Banda nova + músicos experientes. Se existe alguma coisa perto de ser uma “formula do sucesso”, eu diria que é essa. Da pra sentir no ar. A banda lançou seu primeiro single, Resistence, semana passada e ensaia para o primeiro show semana que vem, dia 24 de maio em Santa Ana. O ensaio durou cerca de 3 horas, com direito a pizzas, risadas e até ideia para uma música nova. O álbum completo vai ser lançado dia 23 de junho.

Depois do ensaio conversei com SenDog e com Fernando Schaefer sobre a banda:

Quem teve a ideia de criar o Powerflo e como como isso tudo isso aconteceu?

Sendog: Começou com eu e o Roy Lozano. Um dia ele estava me dando uma carona para o aeroporto, eu ia viajar para fazer uns shows com o Cypress Hill e o Roy tocou umas musicas que ele estava fazendo para uma outra pessoa e eu gostei muito, era pesado. Então pensei, “por que você não cria algumas coisas pra mim?” E ele fez isso! Quando eu voltei da turnê ele me mostrou algumas musicas e a primeira música que fizemos juntos acabou entrando para o CD. A partir daquele ponto, nos reunimos todos os domingos e senti que estávamos fazendo coisas interessantes. Eu percebi muito rápido que precisaria de uma banda, que não seria um álbum solo do Sendog, sabe? Falei para eu e o Roy irmos atrás de algumas pessoas. O primeiro cara da lista era o Christian (Oldewolbers) porque sabíamos que ele tinha saído do Fear Factory. Então a conversa passou para bateristas, eu queria trabalhar com o Dave Lombardo porque somos amigos de infância, estudamos no mesmo colegial, mas ele estava fazendo algumas coisas diferentes e o timing não bateu. Roy então me falou sobre o Fernando Schaefer, e quando eu vi ele em uma revista no Brasil pensei “esse é o cara que o Roy me falou! “, então liguei para ele e ele topou fazer essa viagem até Los Angeles. Isso mostrou muito sobre o compromisso que ele tem com o Powerflo.

Como foi a mudança de São Paulo para Los Angeles?

Fernando: Não foi fácil. A gente sente saudade da família e dos amigos brasileiros, porque a cultura aqui é muito diferente, mas está sendo incrível. Ano passado eu vim três vezes para Los Angeles gravar o álbum. Eu conheci o Roy em 2013 na Alemanha, ele me viu tocar quando eu estava em turnê com o First Blood e me falou sobre o projeto que ele tinha com o Sendog. Depois nos falamos por email, ele acabou virando fã do Worst e falou que eu precisava me mudar para Los Angeles.

Vocês acabaram de lançar o primeiro single, Resistence, qual é a historia ou mensagem por trás dessa musica?

Sendog: A mensagem é basicamente “lute pelos seus direitos”. Você é um ser humano nesse planeta e merece o melhor, e se você não conseguir o melhor, lute por isso! Mostre sua voz! Se você ver algo que está errado, mostre sua opinião. Você não pode ficar calado nos dias de hoje, especialmente com o clima, a politica… eu acho que as pessoas têm que tomar coragem e lutar.

Como foi o processo de gravação do álbum?

Fernando: O Roy falou que íamos gravar no NRG e eu já tinha ouvido falar desse estúdio porque o Slayer tinha gravado lá. Quando eu cheguei no estúdio, eles têm uma sala com a decoração toda marroquina e som de lá é impressionante! Eles me disseram que eu precisava de um drum tech para a gravação… e eu nunca tive um drum tech (risos). Então contratamos um cara que trabalhou com Slipknot e o som ficou incrível. Eu usei uma Ludwing custom com bumbo de 24’’, ficou um som que eu nunca tirei na minha vida antes. Quando vocês escutarem o álbum vocês vão entender do que eu estou falando. Depois também fizemos algumas coisas no Fire Water Studios, do Billy (Biohazard), nosso guitarrista. Criamos umas 3, 4 musicas lá… o Billy trouxe umas melodias muito legais, porque ele também é pianista.

Você tem o Powerflo agora, o B-Real está tocando com o Prophets of Rage, isso significa alguma mudança para o Cypress Hill? Vocês vão diminuir o ritmo?

Semdog: O Cypress Hill ainda é um banda completa e 100% ativa. Eu respeito o Chuck D e o B-Real pelo o que eles estão fazendo no Profits, pois eles quiseram que eu me sentisse confortável com isso também. Eles me convidaram para os primeiros ensaios, antes mesmo do anuncio oficial. Eles queriam saber se eu estava de acordo com aquilo e queriam minha benção, e estava tudo bem por mim. Ao mesmo tempo que existe uma banda chamada Powerflo, também existe uma banda chamada Prophets of Rage e também uma chamada Cypress Hill e isso nunca vai morrer.

Eu e o B-Real temos muito respeito pelo legado que criamos e que ainda temos que continuar, não existe nenhuma conversa sobre Cypress Hill se aposentar ou parar, alias, temos um ótimo material novo, dois álbuns no processo, podem esperar.

Quais são os próximos passos de Powerflo?

Sendog: Temos algumas datas e estamos conversando com o P.O.D, datas na Califórnia e Seattle. Depois disso estou ansioso para levar a banda para Europa e América do Sul, tocar em festivais e mostrar os excelentes músicos que eu tenho comigo. Temos também nosso segundo single que sai em junho com um videoclipe.

compartilhe
Comente