Redação 89

Baterista Fred Castro apresenta carta de despedida dos Autoramas

Um dos bateristas mais importantes do cenário rock brasileiro, Fred Castro, acaba de deixar a banda Autoramas.

Depois de passar pelos Raimundos e participar de álbuns de gente como Maskavo e Rita Lee, Fred informa aos fãs que está sem grupo neste momento.

Leia abaixo a carta de despedida de Fred Castro dos Autoramas:

A voz ativa no título não é exatamente verdade, mas, definitivamente, não é tão importante assim. Aos 44, uma das poucas coisas que aprendi – sou teimoso – é que nada é pra sempre. Tantas vezes na vida pessoal ou artística tive momentos de alegria, outras tantas vezes vivi momentos de tristeza e todos eles, sem exceção, passaram.

Depois de cada euforia ou cada decepção, permanecem a família, os amigos, os verdadeiros amigos, e muitas histórias para contar. Sou bom em contar histórias, não sou de recusar pedidos de entrevista, apesar de saber que quase nunca é o baterista que fala. Ali no meu canto, sentado no fundo do palco, já toquei para dezenas de milhares de pessoas em estádios lotados e para quase ninguém em pubs vazios. Em todos os casos fiz o meu melhor, afinal, aquele “batuque” é o meu trabalho.

Mais um ciclo se fecha, não faço mais parte do Autoramas. Viajamos o mundo, gravamos um belo disco, fizemos shows memoráveis, outros nem tanto. No final das contas, nos restaram muitas histórias para contar, só tenho a agradecer.

Manter uma banda é como manter um casamento, e a comparação é válida no momento da separação. Não é fácil, mas como disse: nada é pra sempre. Lá nos distantes anos 90, ainda em Brasília, me chamaram para tocar em uma banda de destaque na Capital, fiquei muito feliz. Um show depois fui convidado a me retirar do grupo, e fiquei sem banda. Mas a vida tem dessas coisas, em pouquíssimo tempo ganhei meu primeiro disco de ouro com o Raimundos.

Agora, em 2016, os personagens se repetem e estou sem banda, não faço mais parte do Autoramas. Quem pode saber o que vai acontecer ano que vem? A vida tem dessas coisas… e nada, nada mesmo, é pra sempre.

Fred Castro, baterista sem banda

compartilhe
Comente