Redação 89

89 Entrevista: Scott Phillips, do Alter Bridge

A 89 conversou com o Scott Phillips, baterista do Alter Bridge, que está muito empolgado para tocar no Brasil. Os caras se apresentam ainda este ano, dia 21 de setembro, junto com as bandas The Cult e The Who no São Paulo Trip.

O baterista revelou como se sente tocando com essas bandas e o que os fãs podem esperar deste grande show.

Sobre os trabalhos do Alter Bridge, a banda lançou em 2016 o álbum “The Last Hero”, ele contou um pouco como tem sido a turnê desse disco e revelou que foi muito bem recebido pelos fãs.

As curiosidades do lançamento do “Live At The O2 Arena + Rarities”, entre outros projetos como o Creed e Projected, são alguns temas abordados nesta entrevista que pode ser ouvida no player abaixo.

Quem trocou uma ideia com o músico foi o nosso produtor Wendell Correia:


Transcrição da entrevista:

89FM: Como tem sido a turnê?

SCOTT PHILLIPS: Nós estamos em turnê desde o ano passado. No momento estou em casa, aproveitando meus dias de folga. Mas a turnê tem sido incrível. O álbum foi muito bem recebido pelo público. Estou muito empolgado para tocar para os fãs sul-americanos do Alter Bridge.

89FM: Em São Paulo vocês vão tocar com o The Who e The Cult. Como se sente tocando com essas bandas?

SCOTT PHILLIPS: São duas bandas icônicas do planeta. Nós já tocamos com The Cult antes. O baterista John Tempesta é um grande amigo. Nós temos conversado por mensagens para tentar nos encontrar.

89FM: O que podemos esperar dos shows do Alter Bridge no Brasil?

SCOTT PHILLIPS: Nós vamos fazer o que sabemos fazer. Temos orgulho dos nossos shows. Nós sentimos que todos nossos cinco álbuns foram bem sucedidos. Vai ser muito divertido. Nós sabemos que os fãs da América do Sul são apaixonados, estou ansioso para tocar para eles. E ao mesmo tempo estamos ansiosos para tocar com o The Cult e especialmente o The Who.

89FM: Você já tocou no Brasil com o Creed em 2012. O que você lembra do Brasil?

SCOTT PHILLIPS: Aquela turnê foi uma das minhas favoritas. Tivemos a chance de conhecer os fãs que acompanhavam a banda há 17 anos. Os fãs são muito apaixonados. Na própria turnê do Creed conhecemos também pessoas que são fãs do Alter Bridge e imploravam para que também tivesse shows da banda. Estou empolgado pela oportunidade disso acontecer.

89FM: Você prefere estar em estúdio ou fazendo shows?

SCOTT PHILLIPS: Entre tocar ao vivo e estar em estúdio eu curto os dois. São processos diferentes. No estúdio você cria as músicas e gosto de tocar depois para o mundo. Acredito que não só eu, mas todos da banda adoramos tocar para o público mantendo o som o mais fiel possível ao que foi feito no álbum.

89FM: Em setembro o Alter Bridge vai lançar um trabalho ao vivo, o “Live At The O2 Arena + Rarities”.  O que você pode nos falar sobre esse trabalho?

SCOTT PHILLIPS: Para nós como banda é muito bom estarmos fazendo nosso próprio show em um lugar como a Arena O2 em Londres. É algo grande. É um prédio famoso da cidade, que tem um dos nossos maiores públicos. Fico empolgado de saber que todos vão ter a oportunidade de ouvir essa apresentação. Estamos orgulhosos e esperamos que todos curtam.

89FM: Vocês também vão fazer um show com uma orquestra em Londres. Como estão os preparativos para esse dia?

SCOTT PHILLIPS: Sendo honesto, eu estou nervoso (risos). Provavelmente vai ser um dos maiores shows que nós vamos fazer. Não em termos de público, porque o local tem capacidade para cerca de seis mil pessoas. É um prédio muito importante. Por muitos anos, várias bandas que nos influenciaram tocam no Royal Albert Hall. Tocar com uma orquestra é muito diferente de tudo que já fizemos. Estou muito empolgado para ver qual vai ser o resultado.

89FM: Você também vai lançar um novo álbum com o Projected. Como vai ser esse álbum?

SCOTT PHILLIPS: O álbum acabou de sair nos Estados Unidos. Estou muito empolgado para todos poderem ouvir. Sou fã do nosso primeiro disco. Nós nunca tivemos uma chance como banda de fazer um show ao vivo. Tocamos apenas uma vez por vinte minutos. Então é muito bom ter a chance de lançar todo esse material novo. São vinte e uma músicas ao todo neste novo disco. Estamos trabalhando para conseguir tocar. Vai ser muito divertido. Nós quatro da banda somos amigos há muito tempo. Sou um grande fã do Sevendust. E o Eric, um dos guitarristas, eu conheço desde 1999. Quando estivemos com o Creed na turnê na América do Sul ele foi um dos guitarristas de suporte para a banda. Então nós já viajamos muito juntos. Estou empolgado para sair em turnê com o Projected quando surgir a oportunidade.

89FM: Como você se organiza para conseguir cumprir todos os seus compromissos com todos esses projetos que tem feito?

SCOTT PHILLIPS: Não é fácil. Nós pegamos o calendário e tentamos organizar tudo o que for possível. O Myles Kennedy tem compromissos maiores como o trabalho solo do Slash há alguns anos. O Mark Tremonti tem seu próprio projeto solo que é um sucesso. Eu também tenho o Projected, que também faz parte da minha agenda. Desde 2009 temos que planejar no calendário quando é o momento do Alter Bridge, do Slash, Tremonti, Creed. Até o momento tem dado certo essa organização.

89FM: Vocês já têm novos planos para o Creed?

SCOTT PHILLIPS: Por enquanto não temos planos. O Scott Stapp está com o seu projeto solo e também com a banda Art Of Anarchy, que está em turnê. Então não temos planos para nada por enquanto. Todo mundo está bem no que está fazendo agora. Estamos indo e voltando desde 2003, quando estávamos no auge. Mas provavelmente vamos fazer alguma coisa no futuro. Qualquer coisa é possível, então nunca se sabe o que pode acontecer.

89FM: Como você sentiu as perdas do Chris Cornell e do Chester Bennington e na sua opinião por quê essas mortes trágicas estão acontecendo no rock?

SCOTT PHILLIPS: Essa é uma pergunta difícil de responder. Eu sou muito fã do Soundgarden. Nós tocamos com eles em maio em Memphis, Tenesse, dez dias antes do Chris cometer o suicídio. Todos nós ficamos muito mal. Para o Mark, Brian e eu, o Soundgarden foi uma das grandes influências. E o Chris era um compositor que realmente era uma inspiração. Acho que ninguém percebeu que isso iria acontecer, foi um choque para todos. E com o Chester foi a mesma coisa. Nós tivemos oportunidades de tocar em alguns shows com ele. Fizemos um quando ele estava com o Stone Temple Pilots no lugar do Scott Weiland. Eu nunca tive a oportunidade de conversar com o Chester, mas conheci a equipe dele e tínhamos muitos amigos em comum. Ele parecia ser um cara ótimo. Os dois foram uma grande perda para a música e para o mundo.

O São Paulo Trip ocorrerá entre os dias 21 e 26 de setembro no Allianz Parque. O evento leva promoção da 89. Fique ligado em nossas redes sociais!

compartilhe
Comente